Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Honda lidera crescimento de vendas com redução de IPI

Montadora japonesa vendeu, em média, entre junho e julho, 81,7% a mais em relação à média mensal de janeiro a maio deste ano, quando não havia redução do IPI

A Honda foi a montadora que mais ampliou as vendas desde que o benefício de redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis entrou em vigor. A média de vendas da montadora japonesa no bimestre de junho e julho, com o benefício em vigor, subiu 81,7% em relação à média mensal de janeiro a maio deste ano, quando não havia a redução. O número de emplacamentos passou de 6.975 nos primeiros cinco meses do ano para 12.673 em junho e julho, de acordo com dados mensais de vendas da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

A liderança da Honda se mantém se considerados no levantamento os dados relativos a vendas na primeira quinzena de agosto. Do dia 1º ao dia 15 de agosto (últimos números divulgados pela Fenabrave) a Honda vendeu 5.621 automóveis. Comparado com as primeiras quinzenas de janeiro a maio, o aumento dos licenciamentos foi de 68,78%.

Leia mais:

“Pequenos notáveis” vêm movimentar mercado automotivo

De acordo com o consultor sênior da consultoria Carcon Automotive Julian Semple, as vendas da Honda foram alavancadas por dois modelos, o sedã Civic e o utilitário esportivo CR-V. Ambos tiveram atualizações no final do ano passado, mas a disponibilidade dos veículos nas concessionárias só atingiu níveis compatíveis com a demanda na época próxima ao anúncio do IPI reduzido para a indústria automotiva. “Não houve disponibilidade do modelo novo do Civic logo após o lançamento”, diz. “As vendas começaram a subir a partir do final de fevereiro e começo de março, mas a produção foi normalizada mais para a frente, já perto do IPI”, afirma.

As dez montadoras líderes de vendas no Brasil tiveram aumento dos emplacamentos no período com benefício do IPI. Depois da Honda, a Peugeot foi a que apresentou maior crescimento. De janeiro a maio, a empresa francesa vendeu em média 4.520 automóveis. Em junho e julho, 6.803, uma alta de 50,48%.

Leia também:

Preços de automóveis nos EUA são, no mínimo, a metade

Entre o grupo das chamadas quatro grandes montadoras, a Fiat teve o melhor desempenho nesta mesma base de comparação. O crescimento na média de vendas mensal foi de 48,93%. Os aumentos da Volkswagen e da Ford ficaram próximos ao registrado pela montadora italiana: respectivamente, 45,66% e 44,89%. A General Motors não aproveitou tão bem o período se comparada às rivais, crescendo 23,53%, o pior resultado entre as dez montadoras.

Procurada, a assessoria da GM informou que vai esperar os dados do fechamento de agosto para comentar o desempenho durante a validade do IPI reduzido. O prazo da redução da alíquota, instituída pelo decreto nº 7.725, termina na sexta-feira que vem, dia 31.

(Com Agência Estado)