Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Guerra de Putin vai influenciar o preço da sua cerveja

Além do medo da escassez dos insumos, o aumento generalizado do preço da energia também afeta o preço da bebida

Por Luana Meneghetti Atualizado em 21 mar 2022, 18h22 - Publicado em 21 mar 2022, 12h47

A guerra no leste europeu entre Rússia e Ucrânia está prestes a completar um mês e já é responsável por elevar o preço do trigo ao seu maior patamar em 14 anos em decorrência das sanções financeiras. Os países são grandes produtores de trigo, cevada e malte, ingredientes fundamentais para a fabricação das cervejas, o que já tem levado algumas fabricantes a alertarem que a bebida ficará mais custosa.

Além do medo da escassez dos insumos, o aumento generalizado do preço da energia também influencia no preço da bebida. Os custos com a linha de produção em decorrência do cenário inflacionário já era uma preocupação para as fabricantes, tanto que a Heineken já apontava no relatório do último trimestre de 2021 um reajuste nos preços. O grupo Super Bock, fabricante portuguesa de cervejas, também já falou que um aumento é “inevitável”. A AB InBev, a maior cervejaria do mundo e controladora da brasileira Ambev, ainda não estimou o aumento dos custos para 2022, mas reconhece que devem ficar maiores do que antes do conflito.

A oferta menor de matérias-primas e do produto nas prateleiras, com grandes fabricantes encerrando suas operações nos países em conflito, também pode contribuir para a escalada do preço da bebida. A dinamarquesa Carlsberg já paralisou três unidades fabris na Ucrânia.

O Brasil importa grande parte da cevada e do malte da Argentina e Uruguai, e, embora não seja dependente de importações da Rússia da Ucrânia, os reflexos também serão sentidos por aqui. Sem o fornecimento desses países, a busca de países dependentes de importações por outros fornecedores aumentará, elevando os preços em todo o mundo. Além disso, em 2021 o Brasil importou 64 milhões de dólares em malte da Rússia, que se tornou o terceiro maior parceiro exportador do produto para aqui.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês