Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Greves parciais na Alemanha têm a participação de 7 mil funcionários públicos

Berlim, 6 mar (EFE).- Cerca de 7 mil funcionários públicos alemães participaram nesta terça-feira das interrupções parciais convocadas pelo sindicato Verdi, que prevê mobilizações durante toda esta semana para exigir melhoras salariais.

Principalmente nos estados federados de Baden-Württemberg, Hamburgo, Schleswig-Holstein e Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, os trabalhadores do setor público abandonaram temporariamente seus postos de trabalho.

Em Hamburgo, se reuniram apesar do frio cerca de 1.500 funcionários em uma manifestação para reivindicar melhoras salariais.

‘Esta cidade tem dinheiro. É preciso fazer que o funcionário público participe desta riqueza’, ressaltou o líder sindical regional Wolfgang Rose.

As interrupções nessa cidade afetaram principalmente creches, escritórios federais e serviços municipais de limpeza.

Cerca de 4 mil pessoas participaram da greve parcial convocada em Schleswig-Holstein, onde saíram às ruas com cartazes.

Em Rostock, Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, cerca de 200 trabalhadores públicos se somaram às interrupções de advertência, enquanto na localidade de Ummendorf, em Baden-Württemberg (sul do país), duas dúzias de funcionários civis do Exército alemão abandonaram seus postos durante uma hora.

As greves seletivas afetarão na quarta-feira o estado federado da Renânia do Norte-Vestfália, no oeste do país, para as quais o sindicato convocou dezenas de milhares de funcionários do transporte de cercanias, administrações locais, creches, serviço de coleta de lixo e hospitais.

Segundo o sindicato Verdi, também há interrupções convocadas para quarta-feira nos estados federados de Baden-Württemberg, Saxônia-Anhalt, Saxônia, Turíngia e Brandeburgo.

As interrupções começaram na segunda-feira nos estados federados de Hesse, Sarre e Renânia-Palatinado e afetaram as comunicações de metrô e bonde, creches públicas, hospitais e serviços de recolhimento de lixo.

Verdi tem a intenção de mobilizar o pessoal dos serviços públicos de maneira seletiva durante toda a semana, com convocações que acontecerão alternativamente nos 16 estados federados e em diferentes campos do setor.

A greve se concentra nos funcionários públicos do Estado e Prefeituras, um coletivo laboral de cerca de 2 milhões de pessoas, para os quais Verdi exige aumentos salariais de 6,5% ou de pelo menos 200 euros.

O sindicato patronal não apresentou nenhuma oferta e exigiu que os grevistas rebaixassem suas exigências para negociar na mesa constituída na cidade de Potsdam, junto a Berlim.

Até a próxima reunião do dia 12 de março, Verdi pretende manter a pressão com as greves seletivas. EFE