Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Greve de servidores impede IBGE de revelar dados do desemprego

Por causa da paralisação, não foi possível calcular a taxa de desemprego do Rio de Janeiro e, por isso, a média nacional também não foi consolidada

Por Da Redação 26 jul 2012, 09h26

A greve de servidores federais impediu o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de revelar os dados nacionais do desemprego no país, que estavam previstos para serem divulgados nesta quinta feira. Segundo o instituto, foi a primeira vez, desde janeiro de 1980, que a pesquisa mensal de emprego não foi divulgada na data prevista.

Em nota divulgada em seu site, o IBGE afirma que a coleta de dados da região metropolitana do Rio de Janeiro foram coletados, mas não foi possível proceder às etapas de apuração, crítica e análise para a divulgação completa na data prevista no calendário de divulgação. Sem os dados do Rio de Janeiro, também não foi possível consolidar os dados nacionais.

Leia também:

Governo corta o ponto de servidores em greve

Reinaldo Azevedo: Servidores – Herança maldita de Lula-Dilma explode no colo da governanta

Na região metropolitana de São Paulo, a taxa de desemprego subiu 0,3 pontos percentuais entre maio e junho, passando de 6,2% para 6,5% no mês, conforme informou o IBGE. O relatório divulgado apresentou os índices de apenas cinco das seis regiões que integram a Pesquisa Mensal de Emprego (PME). Os dados do Rio de Janeiro chegaram a ser coletados, mas não tiveram a apuração concluída por causa da greve dos servidores.

Continua após a publicidade

De acordo com o IBGE, a região de Belo Horizonte teve queda no desemprego de 5,1% em maio para 4,5% em junho. Já em Salvador, o índice caiu apenas 0,1 ponto percentual, para 7,9%. No Recife, a desocupação subiu de 5,9% para 6,3%, enquanto em Porto Alegre a taxa saiu de 4,5% para 4,0%, o que foi considerado estabilidade pelo IBGE. Por serem pequenas, as variações de Salvador, Recife, São Paulo e Porto Alegre não são consideradas pelo órgão, que classifica os índices como estáveis entre os dois meses.

Quando comparado com junho de 2011, a taxa de desemprego de Salvador e sua área de influência foi a que mais caiu, já que há um ano somava 10,2%. No sexto mês do ano passado, as demais metrópoles analisadas pelo IBGE tinham taxas de desemprego na faixa de 6,1% em Recife, 4,6% em Belo Horizonte, 6,6% em São Paulo e 4,8% em Porto Alegre.

Ocupação – Em junho de 2012, a população ocupada permaneceu estável em Salvador, Recife e São Paulo. Houve redução em Belo Horizonte e Porto Alegre, 1,8% e 1,9%, respectivamente. Quando comparadas às estimativas de junho de 2011, essa população cresceu 3,9% em Recife e 2,2% em São Paulo. Não houve variação estatisticamente significativa nessa estimativa nas demais regiões.

Nesta quarta-feira saiu a taxa de desemprego medida pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e pela Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), que ficou praticamente estável em junho, a 10,7%. Em maio, a taxa fora de 10,6% e, em abril, de 10,8%. Em junho de 2011, a taxa estava no patamar de 10,9%.

Leia mais:

Desemprego fica em 10,7% em junho

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade