Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Grécia vive dia crucial para aprovação de ajuda financeira

Parlamento vota nesta terça-feira moção de confiança no primeiro-ministro

Por Da Redação - 21 jun 2011, 06h32

FMI pressiona União Europeia para liberar pacote de ajuda financeira à Grécia e fala em crise pior que a de 2008 em caso de insolvência

Com um gabinete recém-reformado, o primeiro-ministro grego, Yorgos Papandreou, pede nesta terça-feira ao Parlamento o voto de confiança para seguir no governo.

A aprovação da moção é considerada uma etapa crucial para que Papandreou consiga aprovar o pacote de austeridade exigido pelo FMI (Fundo Monetário Internacional) como garantia para a liberação de um pacote de ajuda financeira calculado em 12 bilhões de euros.

O primeiro-ministro conta com 155 dos 300 votos no Parlamento, o que lhe garantiria uma maioria apertada, mas suficiente para aprovar a moção. Alguns deputados do partido da situação, o Pasok (Partido Socialista Panhelênico), no entanto, têm votado contra o governo nas últimas semanas, atendendo aos clamores dos movimentos sociais, que organizam greves e protestos contra as medidas de arrocho salarial e aumento de impostos.

Publicidade

Nesta terça-feira, movimentos sindicais devem realizar uma manifestação na frente do Parlamento antes da votação da moção de confiança.

FMI – No último domingo, os ministros das Finanças dos países da zona do Euro decidiram adiar a liberação do pacote de ajuda econômia à Grécia, há um ano imersa em uma profunda crise financeira.

Nesta segunda-feira, o FMI declarou que a União Europeia deve agir rapidamente para solucionar a crise grega e evitar um contágio para outras economias do continente, caso da Espanha, por exemplo. Em uma nota, o Fundo disse que uma insolvência na dívida grega poderia levar o mundo a uma recessão ainda mais grave que a provocada pela quebra do banco Lehman Brothers, em 2008.

Publicidade