Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Grécia não apresenta proposta formal e frustra credores

Ministro das Finanças da zona do euro se irritaram com o governo grego por não ter apresentado nenhum documento na reunião do Eurogrupo de hoje

A Grécia não apresentou nesta terça-feira nenhuma proposta concreta para chegar a um acordo com os credores internacionais em reunião do Eurogrupo, em Bruxelas, na Bélgica. Logo depois da vitória do “não” no referendo de domingo, lideranças europeias passaram a pressionar o governo grego a agir rápido e a propor medidas “concretas e críveis” para resolver a crise grega. A falta de um documento formalizando um novo pedido de ajuda financeira, no entanto, frustrou os parceiros europeus no encontro de hoje.

Após a reunião, o presidente do Eurogrupo, que reúne os ministros das Finanças dos países da zona do euro, Jeroen Dijsselbloem, afirmou que aguarda “muito em breve” o envio das propostas. Mais cedo, ele havia dito que iria “fazer de tudo” para evitar a exclusão da Grécia da zona do euro, mas alertou que era necessário que a nova proposta do governo grego se assentasse sobre bases “críveis”.

“Durante as últimas semanas e meses, o Eurogrupo foi muito cortês. Estamos preparados para fazer o que for necessário para reforçar a zona do euro e mantê-la unida”, disse Dijsselbloem. Segundo ele, no entanto, não se pode admitir “um resultado que prejudique a credibilidade europeia”.

Leia mais:

Alemanha sinaliza que não vai aliviar dívida grega

E se você fosse a Grécia?

Na chegada para a reunião, o ministro de Finanças da Alemanha, Wolfgang Schäuble, também advertiu que “sem um programa é difícil ajudar a Grécia dentro da zona do euro”. “O ‘grexit’ (a saída da Grécia da zona do euro) não é nosso objetivo, mas se não houver um pacote de reformas crível não se pode exclui-lo”, reforçou o vice-presidente da Comissão Europeia (CE) para o Euro, Valdis Dombrovskis.

A chanceler alemã, Angela Merkel, afirmou que ainda não há base para reabrir as negociações com Atenas. “Não se trata de semanas, mas de poucos dias” para salvar a Grécia do colapso. Merkel havia deixado claro para Tsipras a importância de apresentar propostas convincentes, após Atenas rejeitar aumentos de impostos, cortes de gastos e reformas previdenciárias e trabalhistas que estavam sobre a mesa antes de seu pacote de resgate de 240 bilhões de euros expirar na semana passada.

Esta foi a primeira reunião do Eurogrupo da qual Euclidis Tsakalotos participou como novo ministro das Finanças da Grécia. Apesar de ser considerado mais cortês do que seu antecessor Yanis Varoufakis, Tsakalotos não foi poupado de críticas por parte dos ministros do Eurogrupo. “Eu tenho a forte impressão de que havia dezoito ministros das Finanças que sentiram a urgência da situação e um que não sente o mesmo”, ironizou o ministro das Finanças belga, Johan Van Overtveldt.

“Talvez amanhã” – Uma fonte ouvida pela agência Reuters afirmou que as propostas devem ser apresentadas em nova reunião do Eurogrupo convocada para esta quarta-feira. “Eles dizem que vão enviar um novo pedido e esboço das propostas talvez amanhã”, disse uma autoridade sênior da zona do euro sob condição de anonimato.

Autoridades gregas afirmam que as medidas não irão muito além do plano que o primeiro-ministro grego enviou à zona do euro na semana passada antes dos eleitores terem rejeitado por ampla maioria os termos de austeridade do resgate no referendo de domingo.

Leia também:

União Europeia quer evitar saída da Grécia do euro

(Da redação)