Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Grécia já fala em calote e espera perdão de 50% da dívida

Governo grego admite dificuldade em honras compromissos e quer renegociar parte da dívida do país para se manter na zona do euro, de acordo com jornal

Por Da Redação 23 set 2011, 06h33

O ministro de Finanças da Grécia, Evangelos Venizelos, disse a parlamentares do seu partido que o país enfrenta o risco de um default desordenado, segundo a edição desta sexta-feira do jornal grego Ta Nea. A publicação acrescenta que o ministro sugeriu um possível desconto de 50% na dívida do país. De acordo com o diário, Venizelos apresentou aos parlamentares do Partido Socialista três cenários possíveis para a Grécia.

No primeiro deles, a Europa seguiria adiante com os compromissos assumidos em uma reunião de cúpula de 21 de julho, estendendo um novo pacote de ajuda aos gregos, no valor de 109 bilhões, mas incluindo o oferecimento aos credores do país de um programa voluntário de troca da dívida.

No segundo, a Grécia não conseguiria chegar a um acordo com seus credores internacionais nos próximos dias, o que levaria o governo grego a ficar sem dinheiro no meio de outubro e o obrigaria a um default desordenado.

Sem citar fontes, o Ta Nea relata que Venizelos também indicou uma terceira opção para o país, que incluiria uma reestruturação ordenada da dívida grega, mas com os credores enfrentando uma perda de 50%. Tal cenário seria acordado com os credores e permitiria a permanência da Grécia na zona do euro, diz o jornal. O Ta Nea acrescenta que esse cenário parece estar ganhando terreno no restante da Europa.

(com Agência Estado)

Continua após a publicidade

Publicidade