Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Grécia diz que não aceita ultimato, mas ministro minimiza impasse

Reunião entre Atenas e ministros de Finanças da zona do euro terminou sem acordo nesta segunda

O ministro de Finanças da Grécia, Yanis Varoufakis, minimizou o fracasso das negociações de segunda-feira entre Atenas e seus credores europeus. “Na Europa, sabemos deliberar de forma a criar uma solução muito boa, uma solução honrosa a partir de uma discordância inicial”, afirmou Varoufakis nesta terça. Já uma fonte do governo afirmou à agência France-Presse que a Grécia não aceitará qualquer ultimato, mas mantém seu compromisso de encontrar uma solução de consenso com seus sóciso europeus.

A reunião entre a Grécia e ministros de Finanças da zona do euro terminou em tom negativo, após pouco mais de três horas de discussões.

Os credores europeus deram um ultimato à Grécia para que aceite a extensão de seu atual programa de ajuda até sexta-feira. O governo grego, que assumiu no mês passado, prefere receber um empréstimo-ponte a renovar o programa existente, que vence no fim do mês.

Leia mais:

Grécia diz aceitar 70% das exigências dos credores, mas quer alterações no plano

Europa nega pedido da Grécia para emitir mais € 4,5 bil em títulos

Grécia desiste de pedir perdão da dívida e tenta ganhar confiança da zona do euro

Atenas busca um empréstimo de curto prazo que permita manter a liquidez no país pelos próximos meses. O novo governo radical da Grécia insiste que não vai estender o programa de resgate internacional colocado em prática pela troica (FMI, Comissão Europeia e Banco Central Europeu), que expira em doze dias, mas os seus parceiros da União Europeia dizem que o país precisa aceitar algum financiamento condicional.

Caso não aceite a ajuda internacional prevista para o final de fevereiro, que tem como contrapartida ajuste fiscal e novas medidas de austeridade, a Grécia pode se ver obrigada a declarar moratória.

(Com Estadão Conteúdo)