Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Grécia deve pedir nesta quarta extensão de acordo de empréstimo

País enfrenta forte oposição da Alemanha porque não quer prorrogar todo o programa de resgate financeiro devido às exigências de austeridade

Por Da Redação 18 fev 2015, 09h08

A Grécia confirmou que pedirá uma extensão do acordo de empréstimo com a zona do euro nesta quarta-feira, apesar da forte oposição da Alemanha. A medida não equivale a uma prorrogação de todo o programa de resgate (bailout). O novo governo da Grécia se recusa a prorrogar o programa de resgate da União Europeia (UE) e do Fundo Monetário Internacional (FMI), com vencimento em 28 de fevereiro, por causa das exigências de austeridade. Em vez disso, pretende renegociar a dívida do país separadamente.

Segundo porta-voz do governo grego, Gabriel Sakellaridis, o pedido envolverá apenas a questão da dívida. “Vamos esperar hoje pelo pedido de uma extensão do contrato de empréstimo a ser entregue pelo ministro das Finanças (Yanis) Varoufakis”, disse Sakellaridis à Antenna TV, ao ser questionado se um esboço inicial rejeitado na reunião de ministros das Finanças da zona do euro faria parte da proposta. “Ainda estamos deliberando para encontrar terreno comum. Queremos acreditar que estamos num bom caminho. Estamos indo à mesa para encontrar uma solução.”

Leia mais:

Grécia diz que não aceita ultimato, mas ministro minimiza impasse

Reunião do Eurogrupo termina sem acordo sobre Grécia

Grécia e zona euro não chegam a acordo sobre dívida

Uma fonte próxima ao governo grego disse na terça-feira que o país pediria uma extensão do acordo de empréstimo de até seis meses sob condições a serem negociadas. No entanto, a proposta teve uma recepção inicial fria. É o exemplo do ministro das Finanças da Alemanha, Wolfgang Schaeuble, que dispensou o esforço da Grécia na terça-feira. “Não é sobre estender um programa de crédito, mas sobre se este programa de resgate será cumprido, sim ou não”, afirmou ele à emissora ZDF.

Questionado sobre as medidas para enfrentar a oposição da Alemanha, Sakellaridis disse que o governo está trabalhando para que a situação que aconteceu na última reunião do Eurogrupo não se repita.

(Com agência Reuters)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês