Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Governo tenta atenuar declaração de Mantega sobre correção do IR

Planalto só discutirá a questão depois de fixar o valor do salário mínimo em 545 reais

Por Da Redação
28 jan 2011, 08h30

Apesar da negativa do ministro da Fazenda, Guido Mantega, o Planalto estuda, sim, a possibilidade de correção da tabela do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF). A declaração dada por Mantega ao voltar de férias vai contra o que havia dito o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho – porta-voz da presidente Dilma Rousseff -, após reunião com as centrais sindicais, na quarta-feira. E, agora, o governo corre para tentar atenuar o que disse o ministro da Fazenda. O Planalto alega que a frase de Mantega, que afirmou não haver qualquer estudo a respeito da correção, não desmente a de Carvalho, já que, de fato, o reajuste não estava em estudo até agora – e o titular da Fazenda estava de férias.

Segundo um dos interlocutores da presidente, o Planalto só vai discutir a questão depois de assegurar o valor do salário mínimo, de preferência em 545 reais, acenando com alguma possibilidade de chegar a 550 reais. Em nome do equilíbrio fiscal, o governo rejeita qualquer valor acima disso, considerando inviável até mesmo os 560 reais – um meio-termo entre os 580 reais pleiteados pelas centrais e os 545 reais oferecidos.

A presidente Dilma foi avisada das declarações de Mantega quando estava no Rio, em almoço com o prefeito da cidade, Eduardo Paes. Dilma já recomendou aos ministros que não discutam pela imprensa. As centrais sindicais colocaram o assunto na mesa de negociações oficialmente na quarta-feira e Carvalho avisou que, se o governo decidir dar alguma coisa, será o centro da meta da inflação deste ano – e não a inflação do ano passado. Com isso, o governo já rejeita os 6,46% pedido pelas centrais, que representariam uma perda de receita de 1,5 bilhão de reais, concordando em discutir a possibilidade de reajustar a tabela em 4,5%, com perda de 1 bilhão de reais.

(Com Agência Estado)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.