Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Governo simplifica Tesouro Direto para pessoa física

Por Eduardo Cucolo

Brasília – O Tesouro Nacional reduziu o número de títulos vendidos para pessoas físicas por meio do Tesouro Direto. O objetivo é facilitar a escolha da aplicação, informou a instituição em nota. Desde o mês passado, estão sendo ofertados dez papéis. Antes, eram 15 opções.

“As alterações tiveram por objetivo adequar a oferta às preferências dos investidores, com base no comportamento histórico das vendas, e trazer maior simplicidade ao programa, ao reduzir a quantidade de títulos ofertados, facilitando assim a escolha dos aplicadores”, diz o Tesouro.

Agora, é possível escolher entre três títulos prefixados, seis indexados a índices de preços e um corrigido pela taxa Selic. Foram mantidos oito papéis que já eram vendidos antes e acrescentados outros dois: a NTN-B 2050 (títulos indexado à inflação medida pelo IPCA) e a NTN-F 2023 (prefixado).

Outra característica dos novos papéis é que todos têm prazo de vencimento acima de dois anos (720 dias), o que significa que o investidor que não vender o papel antes do vencimento vai pagar Imposto de Renda pela alíquota mais baixa, que é de 15%.

O Tesouro diz que as opções de investimento serão revistas anualmente, de modo a manter os prazos de aplicação em cada categoria dentro de um mesmo padrão. Para os três prefixados, por exemplo, os vencimentos ficam em cerca de três, quatro e dez anos. Para os títulos atrelados à inflação, cinco, dez e 20 anos nas NTN-B Principais e dez, 20 e 40 anos em NTN-B. Já o papel corrigido pela taxa básica de juros terá sempre prazo de cerca de cinco anos.

Por causa da nova opção oferecida pelo Tesouro Direto de aplicação programada, a instituição irá avisar os investidores por e-mail quando um título deixar de ser ofertado. Assim será possível agendar novamente o investimento, escolhendo outro papel.

O Tesouro lembra ainda que, independentemente da data de vencimento ou de o título estar ou não na lista dos disponíveis para compra, é sempre possível vender o papel de volta ao governo. Os resgates são feitos sempre às quartas-feiras.