Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Governo quer recuperar até 20% da safra de cana

Por Sabrina Valle

Rio (AE) – O diretor da Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) Allan Kardec informou hoje que o governo trabalha com uma recuperação de 10% a 20% da safra de cana de açúcar para este ano. Mesmo assim, a estimativa da agência é de manutenção dos atuais preços do etanol, havendo previsão apenas de crescimento vegetativo. Desta forma, deve continuar sendo mais vantajoso economicamente ao motorista abastecer com gasolina neste ano.

Kardec disse que não se espera uma nova quebra de safra de cana em 2012, porém se prevê uma safra curta. Neste ano entram em produção novos canaviais, mas o ciclo de crescimento deles é de ao menos dois anos. Para 2012, também é esperada alguma folga para o etanol com o arrefecimento na comercialização do açúcar no mercado internacional. A Rússia divulgou recentemente que aumentará significativamente neste ano a produção de açúcar de beterraba.

O aumento da oferta deve reduzir preços e deixar o açúcar menos competitivo, o que abre espaço para maior produção de etanol. Em 2011, muitos produtores preferiram converter a produção de cana em açúcar por causa do preço. “Provavelmente teremos uma folga no açúcar e, portanto, uma pressão menor no etanol”, disse.

Kardec lembrou que os preços do etanol subiram em 2011 por conta da quebra de safra em 2011 e da crise de 2008, que desacelerou o crescimento da indústria com efeitos no médio prazo. Isso explica a queda de 13,8% no consumo de etanol em 2011 na comparação com 2010.

“Alguns rodam menos e outros migram para a gasolina”, acrescenta o superintendente de Abastecimento da ANP, Dirceu Morelli, sobre os preços altos do etanol do ano e, consequentemente, a redução do consumo do combustível. Para este ano, o diretor lembra que foram retomados investimentos e entram em operação novas usinas, o que deve aliviar o mercado para 2013 e 2014. Também para o ano que vem são esperados os resultados da resolução 67 da ANP que ajudará a regular estoques.