Group 21 Copy 4 Created with Sketch.
Ao vivoAmarelas ao Vivo entrevista Alvaro Dias, do Podemos

Evento de VEJA já ouviu os presidenciáveis João Amoêdo (Novo) e Geraldo Alckmin (PSDB). Marina Silva (Rede) e Henrique Meirelles (MDB) também serão sabatinados

Governo quer punir banco que emprestar pouco para habitação

Objetivo da medida é compensar, em parte, a queda nos depósitos da caderneta, principal fonte de recursos no financiamento habitacional

O governo estuda punir bancos que não estão cumprindo a exigência de aplicar 65% dos depósitos da poupança no financiamento da casa própria. Além disso, planeja a criação de linhas de crédito emergenciais com recursos do FGTS. De acordo com reportagem de O Globo desta sexta-feira, as medidas têm o objetivo de compensar, em parte, a queda nos depósitos da caderneta, a principal fonte de recursos no financiamento habitacional.

Antes de liberar parte dos compulsórios para a habitação, outra medida em discussão é forçar os grandes bancos privados, sobretudo o Bradesco e Itaú Unibanco, a cumprir a exigibilidade da poupança. Segundo o BC, em janeiro, os bancos privados deixaram de aplicar 31,5 bilhões de reais no crédito para casa própria. Dos 124,9 bilhões de reais devidos, foram destinados 93,4 bilhões de reais.

Leia também:

Empréstimo da Caixa à Petrobras não passou pelo conselho

Caixa suspende novos empréstimos para financiamento imobiliário com recursos da poupança

As instituições não são obrigadas a aplicar todo o percentual de 65% em crédito habitacional, mas também não podem direcionar esses recursos para outras linhas. Assim, algumas preferem deixar parte do dinheiro retido no BC, sem remuneração. Com a mudança, os bancos poderão ser punidos com uma rentabilidade negativa, por exemplo. Os valores retidos são suficientes para dar fôlego ao mercado por pelo menos seis meses, segundo fontes próximas ao governo.

(Da redação)