Clique e assine com 88% de desconto

Governo decreta intervenção no fundo de previdência dos Correios

O Instituto de Seguridade Social dos Correios e Telégrafos (Postalis) é um dos maiores fundos de pensão do Brasil em número de participantes

Por Da redação - Atualizado em 4 out 2017, 12h12 - Publicado em 4 out 2017, 10h40

A Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc), vinculada ao Ministério da Fazenda, decretou intervenção no deficitário fundo de pensão dos funcionários dos Correios por um prazo de 180 dias, de acordo com portaria publicada nesta quarta-feira no Diário Oficial da União.

Segundo a autarquia, a intervenção foi decretada “em especial, por descumprimento de normas relacionadas à contabilização de reservas técnicas e aplicação de recursos”.

O Instituto de Seguridade Social dos Correios e Telégrafos (Postalis) é um dos maiores fundos de pensão do Brasil em número de participantes, com mais de 155.000 pessoas,  e registrou sucessivos déficits a partir de 2011, após fazer apostas equivocadas de investimento. O governo federal e funcionários da estatal, através de descontos nos salários, foram chamados a cobrir o rombo.

No último ano, o Ministério Público Federal acusou oito pessoas de cometer fraudes que, entre 2006 e 2011, geraram prejuízos de 140 milhões de dólares à época (mais de 465 milhões de reais). O fundo tinha até o fim de julho de 2017 um  patrimônio de 10,2 bilhões de reais.

Publicidade

Procurado por VEJA, o Postalis não se manifestou sobre a medida até o momento.

(Com Reuters)

Publicidade