Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Governo combaterá abuso de hotéis na Copa das Confederações

Medidas podem acontecer após estudo oficial revelar que setor está cobrando preços superiores à média para os dias de disputa do torneio mundial

Por Da Redação 1 fev 2013, 20h39

O ministro de Turismo, Gastão Vieira, advertiu nesta sexta-feira que o governo combaterá os preços abusivos dos hotéis durante a Copa das Confederações, que começam em junho deste ano, e na Copa do Mundo de 2014.

Vieira fez a advertência em declarações a jornalistas depois de se reunir em Brasília com representantes dos donos de hotéis de todo o país. Um estudo oficial revelou que o setor está cobrando preços muito superiores a sua média para os dias em que será disputada a Copa das Confederações.

O governo e os dirigentes da Associação Brasileira da Indústria Hoteleira chegaram a um acordo na reunião para manter os preços vigiados e “harmonizar” as tarifas.

“Não se pode permitir que os preços sejam cobrados acima de qualquer realidade do mercado devido ao aumento do fluxo de turistas. Os preços têm que ser harmonizados para que sejam justos, inclusive considerando os eventos que vamos organizar”, afirmou o ministro.

Vieira acrescentou que o governo e a iniciativa privada têm que buscar tarifas razoáveis.

“Temos que oferecer aos hóspedes e aos turistas um preço equivalente aos que foram cobrados em outros países que organizaram esses eventos”, acrescentou em referência à Copa das Confederações, à Copa do Mundo e aos Jogos Olímpicos de 2016.

Um estudo divulgado esta semana pela Empresa Brasileira de Turismo (Embratur) mostrou que os preços dos quartos para o período da Copa das Confederações não só superam os cobrados em alta temporada pelos mesmos hotéis, mas estão entre os mais altos do mundo.

O ministro advertiu que o governo vigiará os preços e pedirá aos órgãos de fiscalização que combatam os abusos.

“O governo estará atento e tem instrumentos legais para atuar”, afirmou.

Continua após a publicidade

Leia também:

Mercado eleva expectativa para inflação; e reduz a do PIB

Governo vende dólar para segurar inflação

Em junho do ano passado, quando os hotéis também subiram exageradamente seus preços para aproveitar a demanda gerada pela organização no Rio de Janeiro da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), o governo, igualmente com ameaças de fiscalização, chegou a um acordo com o setor para que reduzisse as tarifas.

O ministro acrescentou que a partir deste mês visitará as seis cidades em que serão disputadas partidas da Copa das Confederações (Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte, Fortaleza, Salvador e Recife) para conversar diretamente com os hoteleiros sobre o assunto.

Segundo Vieira, o governo tem planos para transformar o Brasil em uma potência turística e não pode ganhar a fama de cobrar preços altos nos hotéis.

Os empresários, por sua vez, asseguraram ter se comprometido a trabalhar com o governo para ‘harmonizar’ as tarifas e combater os preços abusivos.

O acordo entre ambas as partes prevê a medição periódica das tarifas nas cidades que organizarão a Copa das Confederações e o envio dessas informações ao Ministério.

(com EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)