Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Governo argentino culpa Shell por ataques especulativos contra moeda

Ministro da Economia argentino, Axel Kicillof, disse que petroleira quis manipular preços para câmbio chegar a 13 pesos por dólar

Por Da Redação 24 jan 2014, 20h14

O ministro da Economia argentino, Axel Kicillof, disse nesta sexta-feira que a brusca desvalorização do peso argentino está relacionada a ataques especulativos da empresa petrolífera Shell.

“Ontem (quinta-feira), surpreendentemente, o dólar estava a 7,20 pesos e houve um pedido de compra de dólares por 8,40 pesos, e depois se determinou que quem tinha pedido ia pagar 8,70 pesos. Todos sabemos que foi a Shell”, disse o ministro, em acusação direta à empresa petrolífera americana. “Queriam um dólar a 13 pesos, e dessa forma ontem mesmo tivemos esse ataque especulativo muito forte”, acrescentou.

Leia mais:

Argentina elimina restrições para a compra de dólares a partir de segunda-feira

Argentina diz que não induziu desvalorização do peso

Continua após a publicidade

Argentina impõe restrições para compra de mercadorias estrangeiras pela internet

O dólar chegou a ser cotado na quinta-feira a 8,40 pesos, mas a injeção de 100 milhões de dólares do Banco Central argentino reduziu a alta e a moeda americana fechou a 7,95 pesos, 8,54% menos que no dia anterior, quando já tinha caído 3,47%.

“Não estamos falando de pequenos investidores, mas sim de um setor que ficou com o dinheiro do povo, gerando cotações paralelas formidáveis”, atacou o ministro.

Nesta sexta-feira a Argentina anunciou que a partir da próxima segunda-feira, as restrições para a compra de dólares serão eliminadas e o imposto sobre compras com cartão de crédito no exterior será reduzido de 35% para 20%.

(com agência EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade