Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Governo anuncia suspensão da dívida do Rio Grande do Sul por três anos

Medida deve aliviar o caixa gaúcho em R$ 11 bilhões; A proposta prevê que o dinheiro deve ser destinado ao enfrentamento e redução de danos da calamidade

Por Camila Barros Atualizado em 13 Maio 2024, 16h38 - Publicado em 13 Maio 2024, 16h36

O governo federal anunciou na tarde desta segunda-feira, 13, que suspenderá a dívida do Rio Grande do Sul com a União por três anos. A medida deve aliviar o governo gaúcho em 11 bilhões de reais. Além disso, os juros do período serão perdoados pelo governo – ou seja, a taxa de juros cobrada sobre as parcelas não pagas cairá para zero.

“São 11 bilhões de reais de fluxo financeiro que estão disponíveis, a partir da sanção da lei, por 36 meses”, disse o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, em reunião com o governador Eduardo Leite (PSDB). “E a renúncia de juros supera o valor do fluxo de 36 meses. Será da ordem de 12 bilhões de reais”.

“Mesmo sem crise climática o governo do RS já enfrentava dificuldades, mas diante dessa tragédia o pagamento da dívida se torna um torniquete insuportável para o estado”, disse Eduardo Leite, governador do RS, durante a reunião.

A proposta prevê que o dinheiro economizado com o não pagamento da dívida deve ser totalmente ao enfrentamento e redução de danos da calamidade climática. O estado deve criar um fundo público específico para este fim.

O dinheiro poderá ser utilizado, por exemplo, para reconstrução de infraestruturas afetadas, contratação de mão de obra temporária, compra de equipamentos necessários, financiamento para remoção de pessoas e empresas de áreas de risco.

Continua após a publicidade

Na semana passada, o governo federal publicou uma Medida Provisória que disponibiliza  12 bilhões de reais para ações de enfrentamento no estado. Deste total, cerca de 7 bilhões serão destinados a subsídio de crédito por meio do Fundo de Garantia de Operações (FGO) e o Fundo Garantidor para Investimentos (FGI).

Haddad afirma que este montante deve resultar na disponibilização de 35 a 50 bilhões de reais de crédito para as empresas e a população. “Esse 7 bi tem impacto primário, porque é dinheiro do orçamento, mas isso vai permitir que a rede bancária possam fazer chegar as linhas de crédito ao RS”, disse.

Os outros 5 bilhões, segundo Haddad, serão destinados ao ministérios envolvidos na reconstrução: defesa, transporte, saúde e trabalho.

O presidente Lula disse que deve anunciar amanhã um pacote de medidas para pessoas físicas.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.