Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Governo amplia redução de IPI para linha branca e móveis

Desoneração é alternativa do governo para impedir que a indústria faça demissões

Por Lucas Sampaio 26 mar 2012, 19h10

O ministro da Fazenda Guido Mantega anunciou nesta segunda-feira novas medidas pra estimular o crescimento da economia, conforme o próprio ministro já havia adiantado nas semanas anteriores. Segundo Mantega, as medidas serão colocadas em prática para ajudar o país a cumprir a “meta” de crescimento pretendida pelo governo, de 5%, a partir do segundo semestre. A Fazenda prorrogou a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) da chamada linha branca, que inclui fogões, geladeiras e máquinas de lavar, além de desonerar também a indústria moveleira.

O fim da redução do IPI sobre os eletrodomésticos da linha branca, que aconteceria no dia 31 de março, foi prorrogado por mais três meses até o dia 30 de junho. “Desta forma, o setor vai continuar produzindo mais, pois houve uma boa demanda nos últimos três meses. Espero também que eles (os empresários) empreguem mais trabalhadores”, disse.

No setor de móveis, o IPI foi reduzido de 15% para 0% para os laminados; de 20% para 10% em papéis de parede; e de 15% para 5% nas luminárias e lustres. “Deve haver mais contratações, pois as vendas deverão aumentar”, estimou o ministro.

As medidas entram em vigor já nesta segunda-feira e devem sair em uma edição extra do Diário Oficial da União. Segundo o ministro, elas deverão acarretar em uma renúncia fiscal de 489 milhões de reais para a União. “Devemos ter um crescimento maior que no ano passado. E a contrapartida para a indústria é a manutenção dos empregos. Não pode haver demissão nenhuma nesses setores”, afirmou o ministro. Ainda de acordo com Mantega, o setor de móveis reclamava que a redução do IPI da linha branca fazia com que as pessoas comprassem os produtos desonerados, em vez de móveis.

Em dezembro de 2011, o governo reduziu o IPI de quatro produtos da linha branca. No caso do fogão, a queda foi de 4% para zero; da geladeira, de 15% para 5%; da máquina de lavar, de 20% para 10%; e do tanquinho, de 10% para zero.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)