Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Gol demite 205 profissionais, entre pilotos e comissários

Segundo a própria companhia aérea, 131 funcionários foram demitidos, 28 pediram demissão e outros 46 aderiram ao programa de licença remunerada lançado em março

Por Da Redação
2 abr 2012, 17h55

O total de desligamentos da Gol, somando demissões decididas pela empresa, pedidos voluntários de demissão e de licenças não remuneradas, é de 205 profissionais. Segundo a própria companhia aérea, 131 funcionários foram demitidos nesta segunda-feira, 28 pediram demissão e outros 46 aderiram ao programa de licença remunerada lançado em março.

“Ao longo das últimas semanas houve 46 adesões à licença não remunerada e 28 pedidos voluntários de desligamento. Com isso foi possível reduzir para 131 o número de demissões efetivadas hoje. A medida garante um quadro de tripulantes condizente com as necessidades operacionais”, diz a empresa em nota. De acordo com a assessoria de imprensa da companhia aérea, “estão encerradas as demissões de pilotos e comissários”.

Segundo fonte ouvida mais cedo pela Agência Estado, porém, 100 comandantes e copilotos e 160 comissários de bordo foram convocados para a reunião que selou as demissões. Os nomes desses funcionários já não apareceriam nas próximas escalas de voos. A fonte não informou, no entanto, por que as demissões de todos os convocados não foram concretizadas.

Ainda de acordo com o texto, a Gol “reforça que não deixará de atender a nenhum dos 63 destinos nacionais e 13 internacionais que compõem sua malha”. A companhia afirma que “o que está em curso é uma redução de frequências”.

Continua após a publicidade

Na semana passada, após a publicação de seu balanço financeiro, no qual apresentou prejuízo de cerca de R$ 700 milhões em 2011, o presidente da empresa, Constantino de Oliveira Junior, anunciou que estão sendo eliminados entre 80 e 100 voos diários (essa revisão da malha teve início em março e deve ser concluída neste mês). O número equivale a 8% dos voos diários totais da Gol e da WebJet. Na ocasião, o executivo disse que os cortes de pilotos e comissários são necessários em razão desse ajuste na malha, que têm como principal objetivo reduzir custos.

(Com Agência Estado)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.