Clique e assine a partir de 9,90/mês

Gino Di Domenico é o novo presidente da Schincariol

Por Da Redação - 19 jan 2012, 16h34

Por Suzana Inhesta

São Paulo – Os japoneses da Kirin acabaram de chegar a um acordo para o nome do novo presidente da fabricante de bebidas Schincariol, adquirida em sua totalidade em novembro de 2011. Gino Di Domenico, que ocupava o cargo de diretor de Operações da empresa assume a vaga deixada por Adriano Schincariol. O executivo assume o cargo oficialmente em 1º de fevereiro.

Em nota, a companhia diz que a Kirin, ao final do processo de seleção para a escolha do novo presidente, se “pautou pelo nome que reunia amplo conhecimento da empresa e sólida experiência no mercado de bebidas e de bens de consumo.” “Gino reúne competências para o exercício da função, tais como liderança, visão estratégica e compromisso com crescimento aliado a resultado”, declara a Schincariol no comunicado.

O executivo é mestre em Engenharia Mecânica pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e construiu sua carreira na gestão em supply chain e industrial na experiência que teve na multinacional Unilever, onde trabalhou em posições de direção por 11 anos. “A escolha da nova liderança considerou as similaridades identificadas entre o perfil do executivo e a estratégia do Grupo Kirin para a expansão da Schincariol, em um cenário altamente competitivo que demanda por qualidade e inovação permanentes”, ressalta a Schincariol.

Continua após a publicidade

Em agosto, a Kirin adquiriu, dos sócios majoritários da Schincariol, 50,45% do capital da empresa por R$ 3,95 bilhões. Mas os minoritários foram à Justiça, alegando ter direito de preferência na compra das ações. Eles até conseguiram uma liminar impedindo a venda, que foi posteriormente derrubada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.

Em novembro, a Kirin acertou a compra da participação restante de 49,55% que estava nas mãos dos acionistas minoritários da Schincariol. O acordo foi de R$ 2,35 bilhões – menos do que os irmãos José Augusto, Daniela e Gilberto Schincariol Junior queriam -, mas mais do que a Kirin pretendia pagar para ter 100% da cervejaria brasileira.

Pelos dados mais recentes do instituto Nielsen, a Schincariol é a terceira maior cervejaria do País, com uma participação de mercado de 10,20% (dados de novembro). Desde a medição de setembro, a cervejaria perdeu o posto de segunda maior para a Petrópolis. O mercado atribui esse movimento ao imbróglio entre a família Schincariol na efetivação da venda da companhia para a Kirin, no qual a companhia teria deixado um pouco de lado suas operações.

Publicidade