Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Gigantes da internet respondem de forma vaga ao escândalo de espionagem

Google, Facebook, Apple, Microsoft, Yahoo!, AOL enviaram respostas protocolares idênticas ao mercado, negando qualquer tipo de fornecimento de informações ao governo, sem que houvesse uma ordem judicial para tanto

Depois da divulgação de que a administração Obama tinha acesso aos servidores de algumas das principais empresas de internet americanas, por meio do sistema Prisma, a negação por meio de comunicados à imprensa foi – como era de se esperar – o comportamento padrão das companhias. Contudo, as respostas foram consideradas vagas e inconclusivas, segundo reportagem da coluna Dealbook, do ‘The New York Times’.

O governo bisbilhotou e-mails, vídeos, fotos, arquivos, transferências, conversas on-line de milhões de usuários. Mas Google, Facebook, Apple, Microsoft, Yahoo!, AOL, entre outras empresas, enviaram respostas protocolares idênticas ao mercado, negando qualquer tipo de fornecimento de informações ao governo, sem que houvesse uma ordem judicial para tanto.

Leia também:

Google quer divulgar pedidos judiciais para provar que acesso foi restrito

Ex-agente da CIA desaparece de hotel em Hong Kong

Retórica de Obama em defesa das liberdades civis é questionada

Conforme aponta o NYT, o episódio levanta questionamentos sobre como empresas de capital aberto e que têm acesso aos dados de bilhões de clientes reagem a um tipo de acusação tão grave. “As respostas das empresas levantam dúvidas sobre quem está dizendo a verdade e a extensão do programa de espionagem”, diz o jornal.

Segundo um ex-funcionário da Securities and Exchange Commission (SEC), a CVM americana, ouvido pelo NYT, as empresas querem vender a imagem de que estão protegendo a privacidade dos usuários. Ao mesmo tempo, elas podem no fundo ter outra obrigação: a de manter sigilo sobre o programa do governo. “Elas estão em uma posição extremamente difícil”, diz o ex-funcionário, Thomas Sporkin.