Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Gerdau tem lucro acima do esperado, puxado por Brasil

A companhia registrou lucro líquido de 642 milhões de reais no terceiro trimestre, crescimento de 57% sobre o resultado positivo obtido em igual período de 2012

Por Da Redação - 31 out 2013, 12h16

A Gerdau, maior produtora de aços longos das Américas, teve lucro acima do esperado no terceiro trimestre, em um desempenho impulsionado por maiores vendas e preços de aço no Brasil, mas contido por fraqueza nas operações nos Estados Unidos.

A companhia registrou lucro líquido de 642 milhões de reais, crescimento de 57% sobre o resultado positivo obtido um ano antes. O desempenho veio acima da estimativa média de analistas apurada pela Reuters, de 546,5 milhões de reais.

As operações brasileiras da Gerdau tiveram crescimento de 42% na geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda), com a margem passando de 19,4% um ano antes para 24,6%. Já as operações na América do Norte sofreram queda de 37% no Ebitda e recuo de margem de 6% para 3,7%.

Segundo a Gerdau, enquanto no Brasil a empresa vendeu mais aço e a preços maiores, na América do Norte houve queda de 9% no volume vendido e crescimento de 3% nos custos das vendas.

Publicidade

Leia também:

Usiminas fica no azul pela 1ª vez em sete trimestres

Lucro da BRF triplica no 3º trimestre, mas vem abaixo do esperado

Lucro da Petrobras cai 45% no 3º trimestre – a R$ 3,3 bilhões

Publicidade

Também ajudaram no desempenho do grupo as operações na América Latina e de Aços Especiais, voltados ao setor automotivo. A primeira reverteu Ebitda negativo com resultado positivo em 131 milhões de reais e margem de 9,2%. Já a segunda elevou a geração de caixa em 17% no período, mantendo a margem em 13,3%.

Receita – No geral, a receita líquida da Gerdau cresceu 7% no terceiro trimestre sobre um ano antes, para 10,49 bilhões de reais, enquanto o custo das vendas avançou 4%, a 8,96 bilhões.

A companhia encerrou setembro com dívida líquida 11,94 bilhões de reais, ligeiro avanço sobre os 11,6 bilhões de um ano antes, mas abaixo dos 12,3 bilhões do segundo trimestre. A relação dívida líquida sobre Ebitda passou de 2,7 vezes em setembro para 2,8 vezes ao final do mês passado.

A empresa investiu 715 milhões de reais no terceiro trimestre, elevando o montante no ano para 1,9 bilhão. No período a empresa iniciou operação de laminador de bobinas a quente na usina de Ouro Branco (MG), com capacidade de 800 mil toneladas anuais e que marca a entrada da empresa nos segmento de aços planos no Brasil.

Publicidade

(com agência Reuters)

Publicidade