Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Geração de emprego privado nos EUA salta em dezembro

Por Da Redação 5 jan 2012, 11h57

Por Steven C. Johnson

NOVA YORK (Reuters) – A geração de emprego no setor privado norte-americano saltou em dezembro, com as empresas contratando mais 325 mil funcionários, enquanto os pedidos de auxílio-desemprego caíram, elevando esperanças de que a recente melhora no mercado de trabalho continue em 2012.

O Relatório Nacional de Emprego da ADP referente a dezembro surpreendeu economistas, que esperavam criação de 178 mil postos. O número também veio acima dos 204 mil empregos privados criados em novembro.

“O número foi impressionante”, disse o analista-chefe de mercado da John Thomas Financial, Wayne Kaufman, em Nova York. “Esse é outro dado que mostra que nossa economia está melhorando. Isso vem em linha com a melhora que temos visto na confiança do consumidor e obviamente isso ocorre porque mais pessoas estão recebendo salários, o que deixa todo mundo mais feliz.”

Joel Prakken, da Macroeconomic Advisers, que ajuda a produzir o relatório, imprimiu um tom de cautela, dizendo a jornalistas que o salto nas contratações em dezembro pode ter sido causado em parte por fatores sazonais de final de ano e que revisões são possíveis.

Um relatório de emprego mais abrangente do governo, com divulgação prevista na sexta-feira, deve mostrar geração de 150 mil postos de trabalho nos setores público e privado no mês passado, mas o relatório da ADP pode levar alguns agentes a revisarem essa estimativa para cima.

Continua após a publicidade

AUXÍLIO-DESEMPREGO CAI

Os pedidos iniciais de auxílio-desemprego nos Estados Unidos tiveram queda de 15 mil na semana passada, no mais recente sinal de que o mercado de trabalho do país pode estar melhorando e ajudando a economia a resistir aos efeitos de uma provável recessão na zona do euro.

O total de pedidos caiu para 372 mil com ajustes sazonais, informou o Departamento de Trabalho dos Estados Unidos. O dado da semana anterior foi revisado de 381 mil para 387 mil.

Economistas ouvidos pela Reuters previam queda menor, para 375 mil, na semana passada.

Os pedidos agora registraram queda em quatro das últimas cinco semanas, e sua média móvel quadrissemanal -uma medida melhor das tendências do mercado de trabalho- caiu em 3.250, para 376.500, o menor nível desde junho de 2008.

(Reportagem adicional de Ryan Vlastelica)

Continua após a publicidade
Publicidade