Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

G20 mantém medidas de contenção de fluxo de capitais

Grupo ratifica decisão de encontro realizado em novembro, em Seul, de aprovação das políticas para conter entrada de capitais

Por Da Redação 19 fev 2011, 16h02

O G20 – o grupo dos 19 países mais ricos do mundo, mais a União Europeia – manteve a aprovação para as medidas de contenção de fluxo de capitais pelos países que vêm sofrendo com a valorização de suas moedas. A avaliação já havia sido definida na reunião de cúpula realizada em novembro, em Seul, mas chegou a ser questionada durante as negociações do encontro ministerial realizado durante este final de semana, em Paris.

Chegou-se a falar sobre a introdução de regras e limites para as iniciativas de controle adotadas pelas nações emergentes. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, posicionou-se contra as iniciativas e defendeu que cada nação deveria decidir o que fazer, até porque o Brasil não abriria mão de definir sua política.

No final, o comunicado do G20 trouxe a indicação de que os países trabalham para fortalecer o sistema monetário internacional, incluindo “medidas para lidar com os fluxos de capital potencialmente desestabilizadores”, como medidas macroprudenciais.

O grupo também seguirá com a reforma o setor financeiro. A avaliação é que, apesar do progresso, ainda há trabalho a ser feito.

Bancos centrais – O presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, disse neste sábado que o acordo firmado entre os membros do G20 para tentar resolver os desequilíbrios globais não afeta a independência dos bancos centrais.

Ao final da reunião de ministros de Finanças e presidentes dos bancos centrais do G20, em Paris, Trichet rejeitou a ideia de que pressões do grupo poderiam fazer com que algum membro do grupo alterasse sua política monetária.

(com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade