Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Fusão Alpha-Eurobank cria maior banco grego com ajuda do Qatar

Por Por Isabel Malsang 29 ago 2011, 15h44

A fusão do segundo e do terceiro bancos gregos, com o apoio do Qatar, anunciada nesta segunda-feira, criou o maior banco da Grécia e deu início à esperada reestruturação do setor bancário deste país da Zona do Euro atingido pela crise da dívida soberana.

O novo AlphaEurobank será o maior banco privado de Grécia e dos Balcãs, dotado de 146 bilhões de euros de ativos, e com mais de 1.300 agências em oito países do sudeste da Europa, segundo um comunicado conjunto por Alpha e Eurobank.

O Paramont, fundo do Qatar, que já possui 5% do capital do Alpha, adquirá 17% da nova instituição, aportando 500 milhões de euros em dinheiro.

“Anunciamos um casamento que cria o maior banco da Grécia. Trata-se de um grande passo tendo em vista a racionalização do sistema bancário grego. Sempre dissemos que havia mais bancos do que o necessário na Grécia”, declarou o novo presidente da entidade, Iannis Costopoulos, procedente do Alpha.

“Trata-se do primeiro grande investimento na Grécia há anos, e é um voto de confiança para o país”, completou.

Quando o acordo foi confirmado, o ministro grego das Finanças, Evangelos Venizelos, cumprimentou a “operação positiva que demonstra o dinamismo e as perspectivas do sistema bancário grego”.

“Também é importante que o Qatar participe e invista na Grécia, enviando ao exterior uma mensagem de confiança” na economia grega, completou o ministro.

A fusão anunciada é “boa notícia”, declarou à AFP Alex Koagne, analista do setor bancário grego na Natixis em Paris, já que “dá início ao processo de consolidação do setor bancário grego”.

Continua após a publicidade

As três partes participarão de um “projeto de aumento de capital de cerca de 3,9 bilhões de euros”, segundo o comunicado. A fusão será encerrada “antes do fim deste ano”.

Antes e depois do anúncio da esperada operação, a bolsa de Atenas registrou nesta segunda-feira uma alta espetacular. A praça grega, que atingiu o piso em agosto, batendo um recorde negativo de 15 anos, subiu durante o pregão até 15%. As ações do Alpha e do Eurobank, por sua vez, tiveram alta cada uma de cerca de 30%.

No fechamento de segunda-feira, o índice Athex subiu 14,34%. Todos os bancos gregos fecharam em alta, apagando parte das perdas sofridas em agosto.

No último fim de semana em Nova York, a diretora-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, pediu uma “recapitalização urgente” dos bancos na Europa para “cortar a rede de contágio” da crise da dívida.

O setor financeiro grego será alvo a partir desta semana de uma auditoria por parte do BlackRock, o maior administrador de fundos mundiais, após solicitação do banco central.

Em agosto, os títulos dos bancos gregos, assim como os de outros europeus, caíram fortemente nas bolsas, já que os mercados duvidavam das possibilidades de sucesso de um plano europeu de resgate decidido em 21 de julho, e também da capacidade de adaptação do setor bancário à crise da dívida.

Em 21 de julho, os líderes da Zona do Euro fecharam um segundo plano de resgate da Grécia, de um total de 158 bilhões de euros, com uma participação substancial dos bancos e de outros credores privados.

A Grécia já recebeu um primeiro plano de resgate em maio de 2010 de 110 bilhões de euros, em troca de um duro plano de ajuste.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)