Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Fundo de pensão da Petrobras estuda vender participações

Conselho do Petros deve adotar postura mais conservadora e avaliar lista de doze empresas em que pode reduzir ou zerar posições, diz jornal 'Valor Econômico'

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 21h30 - Publicado em 3 jul 2015, 13h09

O conselho deliberativo do Petros, fundo de pensão dos funcionários da Petrobras, se reunirá na próxima segunda-feira para analisar uma lista de doze empresas nas quais poderá reduzir ou até zerar suas posições nos próximos meses. A medida faz parte do plano de diminuir a exposição em ativos de renda variável e adotar uma postura mais conservadora, com ênfase em títulos públicos. A participação na Oi, de menos de 5%, é uma forte candidata a ser vendida, segundo apurou o jornal Valor Econômico.

Em nota, a Petros negou que haja qualquer decisão no sentido de vender sua participação em quaisquer ativos. A fundação informou que frequentemente analisa oportunidades de investimento e desinvestimento, com o objetivo de aproveitar as possibilidades de mercado e maximizar o resultado de suas carteiras.

De acordo com o Valor, a lista que será analisada no encontro inclui companhias em que a Petros tem fatia relevante, ao redor de 10%: BRF (12,5%), Itaúsa (15,05%), Totvs (9,81%), Iguatemi (10,20%), BR Properties (10,48%), Dasa (10%), Marcopolo (9,29%), Paranapanema (11,81%), Log-In (12,80%), Frasle (8,48%), BR Pharma (10%) e Indústrias Romi (10,20%).

Leia mais:

Diretores são responsabilizados por rombo no fundo Postalis

Senado arquiva pedido de CPI dos fundos de pensão

Oposição consegue novas assinaturas para criar CPI dos Fundos de Pensão

Resultados – O balanço do Petros será divulgado no fim do mês. A entidade foi autorizada pela Previc (órgão de fiscalização dos fundos de pensão) a aguardar o fim de uma auditoria interna que avalia eventuais irregularidades em investimentos antes da publicação.

(Da redação)

Continua após a publicidade

Publicidade