Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Fundo de Abu Dhabi assume controle de empresa de Eike

Fundo estatal havia emprestado US$ 2 bilhões ao empresário em 2012, mas a crise do império do brasileiro o forçou a pagar a dívida com ativos

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 21h40 - Publicado em 12 fev 2015, 17h13

O fundo de investimento Mubadala Development, de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, comunicou nesta quinta-feira que assumiu o controle da empresa de mineração de ouro AUX, que pertencia ao empresário Eike Batista, segundo o jornal americano Wall Street Journal (WSJ). O fundo estatal havia emprestado 2 bilhões de dólares a Eike em 2012, mas após a derrocada de seu império, o empresário se viu obrigado a pagar sua dívida com investidores usando seus próprios ativos. A AUX detém os direitos de extração de minérios na Colômbia.

“O Mubadala retomou 100% de propriedade da AUX, marcando mais um passo significativo no processo de redenção com o grupo EBX”, afirmou Brian Lott, porta-voz do fundo de Abu Dhabi. O valor da operação não foi revelado.

Segundo Lott, o Mubadala é atualmente acionista majoritário da empresa de entretenimento IMX, fundada por Eike Batista. Além disso, adquiriu uma participação de 10,4% na empresa de logística Prumo Logística e, juntamente com a trader Trafigura, passou a deter 65% de um porto no sul do Estado do Rio de Janeiro, construído pela MMX, outra companhia do ex-bilionário.

Leia mais:

Polícia Federal apreende iate de Eike Batista

Justiça determina bloqueio de R$ 3 bi de Eike e família

PF apreende seis veículos e R$ 127 mil na casa de Eike

Apreensões – O negócio envolvendo a AUX acontece dias após a Polícia Federal (PF) ter apreendido um iate, carros de luxo, jóias, jet skis e outros bens do empresário, que é réu em um julgamento em que é acusado de manipulação de mercado e insider trading (informação privilegiada). Nesta quinta-feira, policiais federais estiveram na casa da ex-modelo Luma de Oliveira, com mandado de busca e apreensão e levaram três veículos e outros bens como garantia de pagamento de dívidas das empresas de Eike Batista, que é ex-marido de Luma

A operação faz parte da mesma decisão do Juiz Flávio Roberto de Souza, da 3ª Vara Criminal da Justiça Federal do Rio, que autorizou a apreensão de seis carros do empresário, em 6 de fevereiro. O valor total dos bens móveis e ativos financeiros apreendidos de Eike Batista pode chegar a 1,06 bilhões dólares, de acordo com Souza.

Continua após a publicidade
Publicidade