Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Fundo com US$ 100 bi sob gestão entra no Brasil

O grupo disse que ter uma presença no país não significa necessariamente que vá desencadear uma enxurrada de dinheiro para o mercado brasileiro

Por Da Redação 8 set 2011, 13h46

A consultoria e firma de private equity Hamilton Lane abriu um escritório no Rio de Janeiro, unindo-se a outros gestores de investimentos globais que buscam atuar no crescente mercado do Brasil. O grupo – com sede em Filadélfia, cinco escritórios fora dos Estados Unidos e 110 bilhões de dólares em ativos sob administração – disse que ter uma presença no país não significa necessariamente que vá desencadear uma enxurrada de dinheiro para este mercado. “Não estamos correndo para empregar capital. Estamos colocando pessoal inteligente e sofisticado no local para avaliar melhor as oportunidades”, disse o diretor de investimentos Erick Kirsch.

A empresa – que tem fundos de pensão corporativos e públicos, além de fundos soberanos entre seus clientes – contratou Ricardo Fernandez Silva Jr e Filipe Caldas, da Capital Dynamics, para atender seus clientes.

Empresas globais de aquisição alavancada (buy out) têm sido ativas na América Latina, formando fundos voltados para a região, abrindo escritórios locais ou fazendo parcerias com gestores domésticos.

O Carlyle Group concluiu em junho dois fundos totalizando cerca de 1 bilhão de dólares para investir na região, e o Pátria Investimentos, firma brasileira na qual o Blackstone Group detém 40%, fez um primeiro fechamento de seu quarto fundo com pouco mais de 900 milhões de dólares. Os investimentos de private equity no Brasil devem subir para estimados 40 bilhões de dólares neste ano, de 5,5 bilhões de dólares em 2004.

Toda esta atenção e dinheiro novo levou participantes do setor a falarem sobre um possível superaquecimento dos preços de ativos no Brasil. No entanto, firmas de buy out afirmam que as perspectivas de crescimento no mercado emergente do Brasil e uma grande fila de empresas familiares significam que as oportunidades de investimento continuam abundantes.

(com Agência Estado)

Continua após a publicidade
Publicidade