Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

França precisa da liderança do Brasil, diz primeiro-ministro

François Fillon ressaltou que a cooperação deve acontecer nos setores aeronáutico, espacial e de trens a alta velocidade

O primeiro-ministro francês, François Fillon, assegurou nesta quinta-feira que seu país precisa do Brasil diante da crise financeira pela qual passa a Europa e pediu uma maior cooperação entre os dois países.”Precisamos da liderança do Brasil e de sua presidente Dilma Rousseff, de suas convicções e do exemplo que representa sua excepcional trajetória pessoal”, afirmou Fillon diante de empresários na Federação de Indústrias de São Paulo (Fiesp).

“Num momento em que a Europa (…) atravessa uma crise de confiança, me parece que devemos precisamente agora aproveitar o imenso potencial oferecido pela associação estratégica entre França e Brasil”, indicou. Em 2008, o presidente francês, Nicolas Sarkozy, e o então presidente brasileiro Lula assinaram um acordo de associação estratégica com o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva.

“Desejamos que esta cooperação se desenvolva, naturalmente no setor aeronáutico (…), nos setores espacial, de trens a grande velocidade, porque nossas relações superaram claramente a etapa produtor-consumidor para alcançar a de uma verdadeira associação equilibrada”, ressaltou o ministro. O comércio bilateral de França e Brasil supera os 7 bilhões de euros com cerca de 500 empresas francesas presentes no Brasil e a França como o quarto investidor no País.

Compra de caças – A cooperação bilateral comporta principalmente um capítulo militar, através da construção de helicópteros e submarinos com tecnologia francesa. Além disso, Paris aguarda há anos uma resposta do Brasil em relação à eventual compra de seus caças Rafale. Na última quarta-feira, Fillon declarou-se confiante em relação ao assunto, mas a decisão do Brasil ainda levará vários meses.

O caça Rafale, do Grupo Dassault, que a França não conseguiu exportar, compete com o F/A-18 Super Hornet da americana Boeing e com o Gripen NG da sueca Saab para a licitação lançada pelo Brasil para a compra de 36 aviões de combate.

No Brasil, a França também espera participar no desenvolvimento de infraestrutura ligada à realização do Mundial de Futebol de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio de Janeiro. Fillon se reunirá na tarde desta quinta-feira com a presidente Dilma em Brasília e terminará sua visita no Rio, na sexta-feira e no sábado.

(com agência France-Press)