Clique e assine a partir de 8,90/mês

Ford vai encerrar operações na fábrica de São Bernardo do Campo

Montadora anuncia também que vai deixar de atuar no segmento de caminhões na América do Sul

Por André Romani - Atualizado em 19 fev 2019, 19h25 - Publicado em 19 fev 2019, 17h10

A Ford anunciou nesta terça-feira, 19, que vai deixar de atuar no segmento de caminhões na América do Sul. Como consequência, a empresa encerrará as operações na fábrica de São Bernardo do Campo.

O motivo, segundo a empresa, é a “ampla reestruturação de seu negócio global.” O processo ocorrerá ao longo de 2019 e os modelos Cargo, F-4000, F-350 e Fiesta, produzidos apenas na fábrica paulista, vão deixar de ser comercializados assim que terminarem os estoques.

A Ford calcula um impacto de cerca de 460 milhões de dólares (1,7 bilhão de reais) em despesas, como consequência da decisão de encerrar as operações em São Bernardo.

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Wagner Santana, disse “nós não aceitamos esse anuncio e vamos fazer a luta necessária para reverter essa decisão”, por comunicado em suas redes sociais. Segundo ele, o sindicato já estava se preparando para essa notícia, devido a complicações com a Ford no começo do ano. Em janeiro houve uma assembleia na portaria da fábrica para negociar a vinda de um novo produto para a planta, o que não se concretizou. Posteriormente o sindicato pediu a reunião desta terça-feira, 19, para que a empresa “deixasse claro as suas intenções com a planta de São Bernardo”.

Outra grande montadora, a General Motors, tinha anunciado no começo do ano sua saída da América Latina. A empresa negocia termos e condições com os sindicatos de São José dos Campos e São Caetano do Sul, cidades onde possui fábricas, para permanecer no país. Foram 28 imposições da GM, entre elas a diminuição do piso salarial e o aumento na jornada de trabalho para novos contratados. Os representantes dos trabalhadores acham a proposta “agressiva”.

Continua após a publicidade
Publicidade