Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Fitch reduz nota de seis grandes bancos

A agência de classificação de risco Fitch anunciou nesta quinta-feira a redução da nota dos bancos Barclays, Credit Suisse, Deutsche Bank, Bank of America, BNP Paribas e Goldman Sachs.

Barclays, Credit Suisse e Deutsche Bank tiveram sua classificação reduzida em dois níveis, enquanto Bank of America, BNP Paribas e Goldman Sachs caíram um degrau.

Morgan Morgan Stanley, Société Générale e UBS mantiveram suas notas.

As reduções “são motivadas pela avaliação da Fitch de que os modelos dos bancos de negócios e universais estão particularmente sensíveis às crescentes dificuldades nos mercados financeiros”, explicou a agência.

“Estas dificuldades resultam dos eventos econômicos e de muitas mudanças nos regulamentos”.

“Apesar de sua boa administração, os aspectos estruturais de seu financiamento, de seus lucros e de seu endividamento representam uma predisposição ao sentimento de vulnerabilidade por parte dos mercados, especialmente durante os períodos de tensão financeira”, destaca a Fitch, completando ter levado em conta as medidas tomadas para reforçar o capital e a liquidez das instituições analisadas.

A agência informa ainda que levou em conta as medidas adotadas pelos bancos para reforçar seu capital e liquidez.

Bank of America, Barclays, Credit Suisse, Deutsche Bank, Goldman Sachs, Morgan Stanley e UBS têm agora a nota “A”. BNP Paribas e Société Générale estão um degrau acima, com “A+”.

As reduções desta quinta-feira foram as últimas de uma série de rebaixamentos do setor bancário mundial, enquanto as agências tentam calibrar o possível impacto da crise da dívida europeia.

As agências de classificação foram muito criticadas por não terem previsto a crise financeira de 2008.

O anúncio da Fitch ocorre semanas depois de a agência Standard and Poor’s rebaixar a nota dos principais bancos do mundo, entre eles o americano Citigroup, Goldman Sachs, Wells Fargo, JPMorgan Chase, Morgan Stanley e Bank of America.

A Fitch rebaixou na quarta-feira as notas de cinco bancos europeus, citando “ventos desfavoráveis no setor bancário em seu conjunto”.

Trata-se de cinco bancos varejistas solidamente estabelecidos: os franceses Credit Agricole e Credit Mutual, o dinamarquês Danske Bank, o finlandês OP-Pohjola Group e o holandês Rabobank.