Clique e assine a partir de 9,90/mês

Fitch rebaixa notas da Itália e da Espanha

Agência de classificação de risco diz que decisão de reduzir ratings deve-se a intensificação da crise da dívida; Portugal teve suas notas mantidas

Por Da Redação - 7 out 2011, 13h29

A agência de classificação de risco Fitch rebaixou nesta sexta-feira os ratings soberanos da Itália e da Espanha, mantendo os de Portugal. Mais cedo, outra agência, a Moody’s, informou o rebaixamento de nove bancos portugueses e doze britânicos.

Itália – As notas de crédito de longo prazo em moeda estrangeira e local da Itália foram reduzidas de AA- para A+ e os ratings de curto prazo de F1+ para F1. A perspectiva dos ratings de longo prazo é negativa. O teto AAA do país foi afirmado.

Em um comunicado, a Fitch informou que o rebaixamento reflete a intensificação da crise de dívida da zona do euro, que “constitui um choque financeiro e econômico significativo que vem enfraquecendo o perfil de risco soberano da Itália”.

Segundo a empresa, a crise teve impacto adverso sobre a estabilidade financeira e as perspectivas de crescimento de toda a região. “No entanto, o alto nível da dívida pública e a exigência de financiamento fiscal, junto com a baixa taxa potencial de crescimento, deixou a Itália especialmente vulnerável a tal choque externo”, afirmou a agência.

Continua após a publicidade

A Fitch observou, porém, que o perfil de crédito soberano da Itália permanece relativamente forte e é sustentado por uma posição orçamentária que é comparativamente melhor do que a de vários países europeus e com mesma classificação. “Além disso, como a terceira maior economia da zona do euro, a Itália é um membro central da União Europeia e o rating incorpora o julgamento da Fitch de que, em último caso, o Banco Central Europeu (BCE) ou o Fundo Monetário Internacional (FMI) fornecerão suporte para evitar uma crise de liquidez autoalimentada”, disse a agência.

Espanha – A Fitch também reduziu em dois níveis a nota de longo prazo da Espanha, para AA-, devido à intensificação da crise da eurozona. A agência revisou para baixo, adicionalmente, as perspectivas para as notas de crédito do país.

A nota que a agência atribui à Espanha passou para ‘AA-‘, de ‘AA+’, com uma perspectiva negativa, o que implica que a agência já poderia baixar de novo a nota de médio prazo. A Fitch ressalta também o risco de descumprimento orçamentário devido das comunidades autônomas.

Portugal – Por fim, a empresa comunicou que manteve a nota da dívida soberana de Portugal em revisão para possível rebaixamento. A dívida portuguesa possui rating BBB- pela Fitch tanto para títulos denominados em moeda local quanto para aqueles denominados em divisa estrangeira.

Continua após a publicidade

“Conforme divulgado anteriormente, a agência pretende encerrar a revisão negativa no quarto trimestre de 2011. A revisão levará em conta os termos oficiais de empréstimos, o desempenho de Portugal no programa da União Europeia e do FMI, o orçamento para 2012, os avanços nas privatizações, os riscos ao sistema bancário de Portugal e uma avaliação atualizada sobre as perspectivas fiscais e econômicas do país no médio prazo”, afirmou a Fitch no comunicado.

(com Agência Estado e Agence France-Presse)

Publicidade