Clique e assine a partir de 9,90/mês

Fim de ajuda a energias renováveis ameaça milhares de empregos na Espanha

Por Pedro Armestre - 31 jan 2012, 15h02

A decisão do governo espanhol de suspender temporariamente as ajudas às energias renováveis pode por em risco a criação de milhares de empregos neste setor, no qual o país é líder, disseram especialistas nesta terça-feira.

A indústria produtora de energia renovável, que entre 2008 e 2010 já perdeu 20.000 empregos, deve perder outros tantos em 2012, declarou à imprensa o diretor do grupo de empresários Fundações Renováveis, Javier Breva.

“O que me preocupa mais são as outras centenas de milhares de empregos que deixarão de ser criados”, afirmou, lembrando que o governo anterior socialista, que deixou o poder em dezembro, havia previsto a criação de 300.000 postos de trabalho neste setor até 2020.

O novo governo conservador, com sua forte política de redução do déficit público, anunciou na sexta-feira a suspensão temporária dos incentivos econômicos para novas instalações de produção de energia elétrica a partir de fontes de energia renovável.

Continua após a publicidade

“Quem irá investir no setor de energias renováveis depois deste decreto?”, questiona Breva. “Creio que é um ataque à competitividade da economia espanhola”, completou.

Graças às ajudas públicas, as energias renováveis registraram nos últimos anos um forte crescimento na Espanha, que se converteu no maior produtor de energia eólica da Europa e só perdendo para Estados Unidos e China a nível mundial.

Publicidade