Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

FGV reduz projeção do IPC-S de 6,4% para 6,2% no ano

Por Flavio Leonel

São Paulo – O coordenador do Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), Paulo Picchetti, reduziu hoje, de 6,4% para 6,2%, a estimativa para o resultado acumulado do indicador de inflação em 2011. Em entrevista concedida à Agência Estado na sede paulistana do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getúlio Vargas (FGV), ele disse que comportamento favorável do IPC-S em outubro foi o principal motivo para a mudança na expectativa.

Nesta terça-feira, a FGV divulgou que o indicador registrou taxa de 0,26% em outubro. O resultado foi bem menor que o de 0,50% observado em setembro e ficou dentro das estimativas coletadas pelo AE Projeções com os economistas do mercado financeiro, já que eles aguardavam uma taxa de 0,19% a 0,30%, com mediana de 0,25%.

Picchetti iniciou outubro com uma expectativa de taxa de 0,50% para o IPC-S, mas, na semana passada passou a trabalhar com uma previsão de inflação de 0,30% para o mês passado. O número divulgado hoje ficou, portanto, ainda abaixo do que ele imaginava. Segundo o coordenador, o grande destaque do mês ficou por conta da forte desaceleração do grupo Alimentação, que fechou setembro com alta de 0,55% e chegou ao final de outubro com variação zero.

Para os dois últimos meses de 2011, Picchetti trabalha com uma projeção de aceleração da taxa do IPC-S. De acordo com ele, há uma expectativa de recuperação dos preços exatamente da Alimentação e de outros segmentos que, além deste conjunto de preços, costumam sofrer o impacto das festas de fim de ano. “Entre novembro e dezembro, vamos ter uma taxa de 0,60%, em média. Com isso, fecharemos o ano em 6,2%”, disse.

Na entrevista de detalhamento do IPC-S de setembro, concedida no começo de outubro, o coordenador havia projetado uma taxa de 6,3% para o indicador de 2011. No decorrer do mês, passou a trabalhar com uma taxa de 6,4% e, hoje, cravou a nova projeção de 6,2%. Se o resultado previsto for confirmado, o IPC-S deste ano, ficará bastante próximo do verificado em 2010, de 6,24%.

Com a taxa de 0,26% registrada em outubro, o IPC-S acumula alta de 4,96% em 2011. Nos últimos 12 meses até outubro, o indicador da FGV atingiu o nível de 6,78%, já inferior ao de 7,14% observado no acumulado até setembro.