Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Fazenda vai reunir governadores na terça para discutir crise

Segundo o porta-voz da Presidência, Alexandre Parola, Temer instruiu Fazenda e Planejamento a tentar solução para a falta de dinheiro em governos estaduais

Uma reunião marcada para a próxima terça-feira no Ministério da Fazenda com governadores discutirá a situação fiscal dos estados, disse nesta sexta-feira o porta-voz da Presidência, Alexandre Parola. O presidente Michel Temer instruiu os ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e o interino do Planejamento, Dyogo Oliveira, a buscarem soluções para o assunto, segundo o porta-voz.

Em rápida declaração a jornalistas, Parola afirmou que Temer tem participado de reuniões para discutir a frágil situação financeira de vários estados brasileiros e disse que o presidente deve também se reunir com os governadores para tratar do assunto.

Nesta quinta, em passagem por Nova York, Meirelles já havia dito que o governo federal avalia diversas alternativas para tentar ajudar os estados em crise, mas desde que elas não prejudiquem o ajuste fiscal. Uma das possibilidades, segundo ele, seria fazer novas operações de securitização de recebíveis para socorrer os governos estaduais.

A ideia seria permitir operações de securitização de recebíveis (antecipação de receitas) por instituições ligadas aos estados. Esse modelo foi usado na captação feita pelo fundo de previdência dos servidores fluminenses, a Rioprevidência, em 2014. Naquela ocasião, o fundo captou recursos com a emissão de papéis respaldados com a perspectiva de recebimento futuro de royalties do petróleo.

Meirelles fez questão de salientar em diversos momentos da entrevista que o auxílio aos estados não pode comprometer o ajuste fiscal, o que prejudicaria a economia. “Não podemos, na ânsia de aliviar os efeitos da doença no paciente, prejudicarmos fatalmente a saúde do paciente.”

(Com Reuters e Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Sergio Cihgral

    A crise nas costas de Meirelles tem origem na filosofia e no modus operandi da classe política brasileira, e não somente na política econômica. Uma classe sem credibilidade não atrai capital; e, uma nação que não investe no capital humano sempre será dependente do capital econômico alheio.

    Curtir