Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Falta de luz rendeu R$ 346 milhões aos consumidores em 2013

Segundo balanço da Aneel, brasileiros ficaram 18,27 horas, em média, sem energia elétrica. Meta do ano era de 15,18 horas

Os consumidores de energia elétrica receberam 346 milhões de reais em compensação por interrupções no fornecimento de energia em 2013. Segundo balanço divulgado nesta terça-feira pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), foram pagas 100,2 milhões de compensações pelo descumprimento dos indicadores individuais de Duração de Interrupção por Unidade Consumidora (DIC), Frequência Equivalente de Interrupção por Unidade Consumidora (FIC), Duração Máxima de Interrupção Contínua por Unidade Consumidora (DMIC) e Duração da Interrupção Ocorrida em Dia Crítico por Unidade Consumidora (DICRI) – todas as metas são informadas mensalmente aos consumidores no boleto de cobrança das distribuidoras.

De acordo com o balanço da Aneel, os brasileiros ficaram, em média, 18,27 horas sem luz no ano passado. Esse número ultrapassa o limite estipulado pelo órgão regulador para o ano, de 15,18 horas. Com relação ao número de interrupções, os brasileiros tiveram 10,49 interrupções no fornecimento de energia contra o limite estabelecido de 12,47 interrupções.

Leia ainda: Brasil dependerá mais de térmicas, segundo ONS

​Aneel eleva para R$ 4,045 bi a 2ª parcela das distribuidoras

A concessionária que mais compensou os consumidores foi a Celg, de Goiás, com um valor de 55,7 milhões de reais. Em seguida vem a Light (RJ), com 45,5 milhões de reais; a Coelba (BA), com devoluções de 24,5 milhões de reais; e a Cemig (MG), com 24,2 milhões de reais.

Esse balanço consolidado da Aneel é feito com base nas informações enviadas pelas concessionárias de distribuição do País. De acordo com a Aneel, as empresas CEA (AP), CERR (RR), Forcel (PR), Boa Vista (RR), AME (AM), Ampla (RJ), CEAL (AL), Cepisa (PI), ELFSM (ES), EFLUL (SC) não enviaram as informações sobre os valores devolvidos aos consumidores e, por isso, estão sujeitas à aplicação de multa pelo não envio dos indicadores.

Leia mais:

‘Racionômetro’ vê corte de energia em setembro

TCU vê “claros indícios” de que geração de energia não será suficiente

(Com Estadão Conteúdo)