Clique e assine a partir de 9,90/mês

Facebook já faz ajustes para a vida pós-Zuckerberg

Conselho de administração propõe redução do poder de seu fundador para quando ele deixar a empresa

Por Da Redação - 3 jun 2016, 10h29

O conselho do Facebook propôs remover o controle majoritário de voto de Mark Zuckerberg no caso de o presidente-executivo e fundador da rede social decidir deixar a administração em algum momento no futuro.

Em documento enviado nesta quinta-feira à Securities and Exchange Commission (SEC), órgão que regulamenta o mercado de capitais americano, o conselho do Facebook disse que pedirá a acionistas que votem uma proposta que converteria as ações classe B de Zuckerberg em papéis classe A se ele não estiver mais em uma posição de liderança.

Nesta quinta, Zuckerberg detinha cerca de 4 milhões de ações classe A e por volta de 419 milhões de ações classe B. Somadas, elas representam 53,8% do poder de voto total em circulação e 14,8% do total de interesses econômicos em circulação.

A proposta será votada na assembleia geral anual do Facebook marcada para 20 de junho. Ela tem como objetivo certificar que os poderes de gestão de um futuro chefe do Facebook não sejam limitados, justificou o conselho.

“Esses são novos termos para garantir que não permaneceremos uma companhia controlada por seu fundador depois de deixarmos de ser uma empresa liderada pelo fundador”, disse o conselho no documento.

(Com Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade