Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Facebook enfrenta ação por armazenar dados de reconhecimento facial

Segundo usuários, a rede social está violando a Lei de Privacidade de Informações Biométricas de Illinois, que protege os dados de cidadãos

O Facebook enfrentará uma ação coletiva nos Estados Unidos por supostamente coletar e armazenar dados de identificação facial dos usuários sem autorização. O processo foi aceito pelo juiz federal da Califórnia James Donato.

A ação está sendo movida por três residentes do estado norte-americano de Illinois, Nimesh Patel, Adam Pezel e Carlo Licata. Eles alegam que ao armazenar essas informações, a rede social está violando a Lei de Privacidade de Informações Biométricas de Illinois, que protege dados dos cidadãos e exige consentimento para guardar esse tipo de informação.

Em 2010, o Facebook criou o Tag Suggestions, que identifica rostos em fotografias e marca amigos em fotos automaticamente. Segundo Patel, Pezel e Licata, essa é uma das ferramentas que permite que o Facebook armazene dados dos usuários – é possível desativar o recurso nas configurações da rede social.

Para o juiz, as queixas apresentadas foram “suficientemente coerentes para buscar sua resolução de maneira coletiva”.

A ação coletiva veio à tona após o escândalo de dados envolvendo usuários do Facebook. A rede social compartilhou dados de 87 milhões de usuários com a consultoria Cambridge Analytica, que participou da campanha de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos.

Um porta-voz do Facebook afirmou que a empresa vai se defender. “Estamos revisando a decisão. Acreditamos que o caso não tem mérito”.