Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Fábio Faria: “Teremos 5G instalado em todas as capitais até o ano que vem”

Em entrevista a VEJA, ministro das Comunicações explica os bastidores da negociação que deu origem ao segundo maior leilão de concessões na história do país

Por Carlos Valim, Felipe Mendes, Luana Meneghetti Atualizado em 5 nov 2021, 10h14 - Publicado em 5 nov 2021, 06h00

Praticamente descartado há um ano por questões ideológicas com relação à China, um dos principais fornecedores da tecnologia no mundo, o projeto de implantação do sistema 5G foi retomado com a recriação do Ministério das Comunicações e a chegada de Fábio Faria ao cargo de ministro. Ao contrário de muitos de seus pares na Esplanada, ele arregaçou as mangas e conseguiu marcar sua gestão com uma entrega realmente importante. Em entrevista a VEJA, Faria explica os bastidores e os detalhes da negociação que deu origem ao segundo maior leilão de concessões na história do país, atrás apenas do megaleilão do pré-sal, em 2019.

Por que o leilão de 5G demorou tanto? Algumas coisas estavam paradas quando cheguei. O segredo foi atuar de forma mais política do que qualquer outra coisa. Colocamos o Tribunal de Contas da União para acompanhar nas viagens de apresentação da tecnologia. Tive várias reuniões com o pessoal do Supremo Tribunal Federal e do Congresso para explicar a importância desse assunto.

Como foi o contato com as operadoras e fornecedoras de equipamentos de telefonia? Fizemos muita propaganda lá fora, estivemos com os presidentes globais de empresas como a Qualcomm, da TIM, com os donos da Samsung, da Huawei, gestores de fundos gigantes como os do Catar. Só assim conseguimos fazer o maior leilão de telecomunicações da América Latina e o segundo maior da história do país, atrás somente do pré-sal, que arrecadou 69 bilhões de reais.

O modelo de leilão, no entanto, foi de não arrecadar o máximo possível, mas de exigir investimentos por parte das empresas. Como isso vai funcionar? Sem a infraestrutura para as empresas operarem, elas acabam ganhando menos dinheiro. O leilão não arrecadatório garante mais investimentos em infraestrutura para que, em poucos anos, tenhamos todo o país coberto pela nova tecnologia. Em outros países, como a Itália, a opção por fazer um leilão visando maior arrecadação acabou tendo problemas e deixando-­os para trás.

Quais são as principais contrapartidas? A principal é conectar as pessoas sem internet. Temos 40 milhões de brasileiros sem internet, em 9 600 localidades. Além disso, haverá conexão em grande parte das estradas, o que vai ajudar na gestão de cargas, da fazenda aos portos ou aeroportos. Serão 48 000 quilômetros de estradas conectadas. Na educação, 72 000 escolas, ou 85% da rede pública do país, terão a internet 5G. Isso vai fortalecer muito a nossa educação e a capacitação dos talentos. Por último, já partiremos de cara com o 5G instalado em todas as capitais até o ano que vem.

Publicado em VEJA de 10 de novembro de 2021, edição nº 2763

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)