Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Exportações chinesas são recorde em maio, a US$ 157 bi

País asiático registrou superávit de 13 bilhões de dólares, segundo governo

Por Da Redação 10 jun 2011, 11h16

China espera um crescimento das importações mais modesto no próximo mês

As exportações chinesas bateram um novo recorde em maio, superando os 157 bilhões de dólares. Trata-se de um crescimento de 19,4% em relação à maio de 2010, de acordo com dados oficiais divulgados nesta sexta-feira. O recorde anterior de exportações foi em abril, quando totalizaram 155,7 bilhões de dólares. Apesar do índice alcançar novos patamares, o crescimento das exportações foi menor que a alta de 29,9% registrada em abril. Além disso, economistas esperavam um aumento maior, de 20,4%.

A explicação para a leve desaceleração recaiu sobre as complicações da economia mundial. As exportações não chegaram ao nível desejado devido aos efeitos da situação da economia americana e da de outros países ao redor do mundo, bem como as interrupções temporárias provocadas pelo terremoto no Japão, em março.

Soma-se a isso que as importações aumentaram mais que os economistas previam. As importações cresceram 28,4% em maio, ante o mesmo mês do ano passado, acelerando fortemente em relação à alta anual verificada em abril, de 21,8%. Economistas esperavam uma alta de 22% nas importações. O aumento das compras de produtos de outros países “mostra que a demanda doméstica continua forte e que a economia ainda não está desacelerando num ritmo que seja preocupante”, disse o economista Ma Xiaoping, do HSBC.

Na comparação mensal, as importações recuaram 0,1% em maio ante abril, enquanto as exportações aumentaram 1%, conforme os dados da alfândega chinesa. Em comunicado, economistas do Citibank disseram que os aumentos no volume de importações compensaram o declínio nos preços das commodities desde abril. Eles preveem, contudo, que o crescimento das importações da China pode ser mais moderado nos próximos meses, devido à desaceleração da demanda doméstica e à redução da procura por matérias-primas a serem transformadas em produtos de exportação.

O volume de minério de ferro importado pela China, indicador da demanda industrial de commodities, subiu 2,7% em relação a um ano antes e 0,8% na comparação com abril. De acordo com analistas, os investidores em minério estavam tirando proveito da queda de preços que se seguiu ao terremoto no Japão. As importações de soja também aumentaram fortemente em maio, com alta de 18% sobre o total de abril e de 4% ante maio do ano passado, para 4,56 milhões de toneladas.

Superávit comercial – Mesmo com um crescimento das importações acima do esperado, a China obteve superávit comercial de 13,05 bilhões de dólares em maio, ante os 11,4 bilhões de dólares de abril. A mediana das previsões dos economias previam resultado de 19,6 bilhões de dólares.

(Com agências Estado e France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade