Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Exportações alemãs desabam em dezembro após ano forte

Por Da Redação 8 fev 2012, 09h08

BERLIM, 8 Fev (Reuters) – As exportações alemãs tiveram em dezembro a maior queda em quase três anos e as importações também recuaram inesperadamente, sugerindo que a maior economia da Europa pode ter encolhido mais que o esperado no quarto trimestre de 2011.

Dados da agência federal de estatísticas mostraram que, com base em números ajustados sazonalmente, as exportações encolheram 4,3 por cento, a maior baixa desde o auge da crise financeira, em janeiro de 2009. A mediana das previsões apurada em pesquisa da Reuters apontava queda de apenas 1 por cento.

Em termos anuais, as exportações para a zona do euro recuaram 3,3 por cento, apesar de uma alta geral de 5 por cento.

A queda nas exportações ajudou a reduzir o superávit comercial a 13,9 bilhões de euros em dezembro, ante número revisado para 14,9 bilhões de euros no mês anterior, abaixo das estimativas de saldo positivo de 14 bilhões de euros.

“A crise de dívida europeia está se combinando com um enfraquecimento da demanda global”, disse Andreas Scheuerle, do Dekabank.

“Os dados de dezembro sugerem que a estimativa oficial de contração econômica de 0,25 por cento no quarto trimestre precisa ser revisada para baixo.”

Continua após a publicidade

2011: ANO RECORDE

Contudo, os dados também mostraram que as exportações alemãs bateram um novo recorde em 2011 como um todo e, segundo economistas, as pesquisas antecedentes sugerem que a economia já está de volta nos trilhos após a aparente contração.

Os números cheios de 2011 mostraram que as exportações superaram a simbólica marca de 1 trilhão de euros, alcançando 1,060 trilhão de euros. As importações também bateram recorde, atingindo 902,0 bilhões de euros.

Assim, o superávit comercial da Alemanha em 2011 subiu para 158,1 bilhões de euros, ante 154,9 bilhões de euros em 2010. Os números contrastam fortemente com os dados divulgados na terça-feira pela França, a segunda maior economia da zona do euro.

“No começo do ano, a perspectiva para a economia alemã melhorou, com a economia global ganhando ritmo novamente e a incerteza sobre a crise de dívida diminuindo”, disse Ulrike Rondorf, economista do Commerzbank.

A confiança do empresário alemão aumentou pelo terceiro mês seguido em janeiro e a confiança do consumidor também melhorou no começo de fevereiro, atingindo o maior nível dos últimos dez meses.

(Por Sarah Marsh)

Continua após a publicidade
Publicidade