Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Exportação de siderúrgicas ultrapassa vendas internas

Valorização do dólar estimula vendas externas de aço, mas margens de produtos enviados ao exterior são menores do que os demandados no Brasil

Pela primeira vez as exportações de aço do Brasil superaram, em setembro, as vendas no mercado interno. O Instituto Aço Brasil revelou que as usinas colocaram 1,48 milhão de toneladas de produtos no mercado doméstico em setembro, queda de 20,7% em relação ao mesmo mês do ano passado e de 6,2% ante agosto. Já os volumes que foram vendidos no exterior chegaram a 1,59 milhão de toneladas, avanço de 31,6% e 22,4% na mesma base de comparação, respectivamente.

No caso das importações, o volume caiu 40,3% na comparação anual durante setembro, para 224,3 mil toneladas. Ainda assim, frente a agosto, foi registrada uma alta de 9,7%. As informações foram publicadas em reportagem do jornal Valor Econômico desta terça-feira.

Influenciados por esse cenário e pelo impacto do dólar sobre a dívida, os balanços das siderúrgicas provavelmente fecharam o terceiro trimestre no vermelho, segundo prévia dos resultados da maioria dos bacos consultados pelo Valor. A média de estimativas do Bank of America Merril Lynch (BofA), BTG Pactual, Citi e J.P. Morgan aponta para prejuízo líquido de 1,18 bilhão para a CSN.

No caso da Gerdau, BofA e Citi preveem lucro de 200 milhões e 189 milhões de reais, respectivamente, e BTG e J.P. Morgan, prejuízo de 203 milhões e 365 milhões de reais, na mesma ordem. No último período de 2014, a Gerdau teve lucro de 261,9 milhões de reais.

A queda do real ante o dólar pode ajudar os balanços das empresas. O problema é que as margens dos produtos enviados ao exterior são menores do que os demandados no Brasil. As usinas vendem mais semiacabados a outros países, que têm maior custo de produção frente aos preços praticados.

Leia mais:

Nardes diz que Lula foi infeliz ao justificar ‘pedaladas’

Banco alemão transfere US$ 6 bilhões ‘por engano’

(Da redação)