Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Exportação de carros cai 45% no acumulado do ano devido à crise argentina

Segundo a Anfavea, foram vendidas 139,5 mil unidades no período; em receita, a queda foi de 48,4% em relação ao primeiro quadrimestre de 2018

Por da Redação - Atualizado em 7 maio 2019, 17h22 - Publicado em 7 maio 2019, 13h28

A exportação brasileira de veículos caiu 45% no acumulado de janeiro a abril deste ano na comparação com o mesmo período do ano passado, segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Foram 139,5 mil unidades vendidas ao exterior, em soma que considera os segmentos de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus. O principal motivo para o tombo é a crise econômica da Argentina, historicamente o principal destino das exportações brasileiras de veículos.

Em valores, as vendas ao mercado externo somaram 2,28 bilhões de dólares (aproximadamente 9 bilhões de reais) de janeiro a abril, recuo de 48,4% em relação ao primeiro quadrimestre do ano passado. Com relação à produção, houve leve queda de 0,1% nos quatros primeiros meses do ano.

Em abril, a exportação de veículos caiu 52,3% em comparação com o igual mês do ano passado. Foram 34,9 mil unidades vendidas ao exterior. Em faturamento, houve queda de 57,6% sobre a receita do mesmo período de 2018. Já o nível de emprego teve retração de 1,2%, com 130 mil pessoas trabalhando no setor, em abril.

A crise econômica que atinge a Argentina desde meados de 2018 levou o governo a anunciar, em abril, uma série de medidas com o objetivo de controlar a inflação elevada e reativar o consumo no país. O presidente Mauricio Macri, que tenta a reeleição em outubro deste ano, decidiu congelar os preços de cerca de sessenta produtos básicos e conter os aumentos das tarifas dos serviços públicos, em uma tentativa de frear a inflação.

Publicidade

(Com Agência Brasil)

Publicidade