Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Exportação de carne suína do Brasil cai 5,3% no ano–Abipecs

Por Da Redação - 6 out 2011, 15h12

SÃO PAULO (Reuters) – As exportações de carne suína do Brasil totalizaram 390,2 mil toneladas de janeiro a setembro, recuando 5,32 por cento ante o mesmo período do ano passado, informou a Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs) nesta quinta-feira.

O faturamento, no entanto, aumentou 5,53 por cento, para 1,06 bilhão de dólares, uma vez que o preço médio subiu 11,4 por cento até setembro, para 2.729 dólares por tonelada.

A queda nos embarques em volumes ocorre em meio a embargos da Rússia. Mas o Brasil está menos dependente do seu principal mercado comprador, na avaliação da Abipecs.

“Apesar de o Brasil estar exportando muito pouco para a Rússia, o desempenho das vendas externas, em setembro, não foi ruim”, afirmou o presidente da Abipecs, Pedro de Camargo Neto.

Publicidade

No mês passado, o país exportou 41.393 toneladas, gerando uma receita de 113,74 milhões de dólares. Isso representa uma queda de 18,8 por cento em relação a setembro do ano passado e uma queda de 8 por cento no faturamento na mesma comparação.

Segundo Camargo Neto, mesmo sendo afetado pelas restrições impostas pela Rússia ao produto brasileiro, que já duram 100 dias, o “setor consolida sua independência em relação àquele mercado”.

Isso porque as restrições da Rússia têm dado maior espaço no mercado para Ucrânia, Hong Kong e Argentina.

Enquanto as importações russas caíram 90 por cento em setembro, as vendas para Ucrânia subiram 93 por cento em volume no mês, ante setembro de 2010, e 114,9 por cento em valor.

Publicidade

No mesmo mês, Hong Kong ampliou suas importações de carne suína brasileira em 73,66 por cento e a Argentina em 8 por cento.

A Rússia ainda segue como o primeiro comprador do produto brasileiro no ano, tendo importado 117,8 mil toneladas, uma vez que o embargo russo começou em 15 de junho.

Mas Hong Kong vem logo atrás, tendo importado 94,2 mil toneladas até setembro.

(Por Patrícia Monteiro)

Publicidade