Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Ex-sócio de Jorge Paulo Lemann aposta que ele comprará PepsiCo

Em entrevista à Business Week, Luiz Cezar Fernandes afirmou que "apostaria dinheiro" na certeza de que essa pode ser a próxima tacada do empresário

Em entrevista concedida à Bloomberg Business Week, o ex-banqueiro Luiz Cezar Fernandes, sócio de Jorge Paulo Lemann na época do banco Garantia, afirmou que apostaria seu próprio dinheiro na certeza de que a próxima empresa a ser adquirida pela 3G, companhia de investimentos chefiada pelo bilionário brasileiro, é a PepsiCo.

A PepsiCo tem dois braços poderosos: alimentos e bebidas. A coluna Radar On-line, do site de VEJA, havia informado logo após a aquisição do Burger King, em 2010, que o grupo estaria interessado em adquirir um dos grandes fabricantes de refrigerantes dos Estados Unidos. Depois da compra da Anheuser-Busch, fabricante da Budweiser, em 2008, não se pode dizer que os possíveis planos de Lemann para a PepsiCo surpreendam o mercado. Apesar de levar um estilo de vida saudável e sem excessos, ele caminha a passos largos para o posto de dono dos maiores símbolos da indústria de alimentos dos EUA.

Usar a Heinz, sua última empreitada, como plataforma de aquisições, assim como fez com a Anheuser-Busch, é uma das opções. Dean O’Hare, membro do conselho da Heinz, afirmou à Bloomberg Business Week que a 3G transmitiu a mensagem de que usará a nova empresa para comprar outras.

Leia também:

A vida pacata do bilionário Jorge Paulo Lemann na Suíça

Segundo as fontes ouvidas pela reportagem, Lemann e seu sócio, Beto Sicupira, têm um ditado: “qualquer empresa precisa crescer para ter sucesso”. Assim que os executivos designados pelo empresário conseguem sanar todas as ineficiências de uma companhia recém-adquirida, começam a desenhar novas aquisições para crescer.

Lemann, Sicupira e Marcel Telles são sócios da AB-InBev, Burger King, Heinz. O trio também detém fatias de diversas empresas americanas por meio da 3G – um veículo de investimentos semelhante ao Berkshire Hathaway, de Warren Buffett. A diferença é que a empresa de Buffett é listada na bolsa, enquanto a 3G é uma companhia fechada.

Lemann, que vive na Suíça, é o brasileiro mais rico, segundo o ranking da Forbes. Sua fortuna está avaliada em 34 bilhões de reais. Telles está em 4º lugar, com patrimônio de 19,5 bilhões de reais, enquanto Sicupira tem 16,78 bilhões de reais, sendo o 8º brasileiro mais rico.