Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Eurozona concorda em ampliar ‘porta corta-fogo’ a € 800 bilhões

Por Joel Saget 30 mar 2012, 08h38

Os ministros da Eurozona concordaram nesta sexta-feira em reforçar a “porta corta-fogo” contra a crise a até 800 bilhões de euros, como pretendia a Alemanha, indicou nesta sexta-feira a ministra austríaca Maria Fekter.

“Alcançamos um acordo de 800 bilhões de euros”, afirmou Fekter.

A ideia é unir os fundos já comprometidos do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (FEEF), para os resgates de Grécia, Portugal e Irlanda, e os do Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEDE), dotado de 500 bilhões de euros.

Nos debates dos ministros dos 17 países da Eurozona, venceu finalmente a proposta da Alemanha.

A Comissão Europeia (CE) e alguns países, como a França, tinham um objetivo mais ambicioso. Pretendiam passar uma imagem de extrema solidez perante os mercados elevando o MEDE, o fundo permanente de resgate, que prevê entrar em vigor em julho, a 940 bilhões de euros.

Para isso propuseram acrescentar também os fundos não utilizados do FEEF, estimados em 240 bilhões de euros, como modo de reserva e em caso de extrema necessidade.

Continua após a publicidade

Publicidade