Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Europa sobe puxada por dado sobre consumo nos EUA

Por Da Redação 29 ago 2011, 14h22

Os principais índices do mercado de ações da Europa fecharam em alta, impulsionados por dados que mostraram um aumento maior que o previsto nos gastos dos consumidores dos EUA. O discurso feito pelo presidente do Federal Reserve, Ben Bernanke, na sexta-feira – que foi considerado um dos fatores responsáveis pela queda das bolsas naquele dia – também contribuiu para os ganhos.

Hoje pela manhã o Departamento do Comércio dos EUA divulgou que os gastos dos consumidores em julho aumentaram 0,8% na comparação com o mês anterior, registrando o ganho mais acentuado dos últimos cinco meses. A renda pessoal também teve expansão, de 0,3%. Economistas esperavam que os gastos subissem 0,5% e a renda avançasse 0,4%.

Na última sexta-feira, os índices acionários europeus fecharam em baixa em parte porque os investidores ficaram decepcionados com o fato de Bernanke não ter oferecido sinais claros em seu discurso sobre a possibilidade de o banco central norte-americano adotar mais medidas de estímulo à economia dos EUA. Nesta segunda-feira, porém, o mercado decidiu dar mais atenção a um trecho do discurso no qual o presidente do Fed afirmou que os membros da instituição vão estudar opções para dar suporte à economia.

O índice pan-europeu Stoxx 600 subiu 2,76 pontos, ou 1,22%, para 228,28 pontos. A Bolsa de Londres não funcionou por causa de um feriado. Em Paris, o índice CAC 40 ganhou 66,56 pontos, ou 2,16%, para 3.154,20 pontos. Na Bolsa de Frankfurt, o Xetra DAX fechou em alta de 132,59 pontos, ou 2,39%, a 5.670,07 pontos.

Em Milão, o índice FTSE MIB subiu 340,97 pontos, ou 2,30%, para 15.140,98 pontos. O IBEX 35, da Bolsa de Madri, avançou 209,50 pontos, ou 2,56%, para 8.395,00 pontos. Em Lisboa, o PSI 20 teve alta de 154,41 pontos, ou 2,56%, para 6.180,49 pontos.

O ASE, da Bolsa de Atenas, ganhou 126,51 pontos, ou 14,37%, para 1.006,59 pontos, depois de o EFG Eurobank Ergasias e o Alpha Bank anunciarem um acordo de fusão. As ações de cada um desses bancos fecharam em alta de aproximadamente 30%. Ainda em Atenas, também fecharam em alta o Piraeus Bank (+28,5%) e o National Bank of Greece (+29,14%).

As ações do setor financeiro também tiveram um bom desempenho em outras praças. Em Madri, o Santander subiu 2,1%, enquanto em Paris o Société Générale avançou 3,6%. Em Frankfurt, o Commerzbank fechou em alta de 4,2%. As informações são da Dow Jones.

(Com Agência Estado)

Continua após a publicidade


Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)