Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Europa sob ameaça de nova recessão e economia mundial em perigo

Por John Thys 10 nov 2011, 09h32

“A economia mundial está em perigo”, alerta a Comissão Europeia (CE) em um relatório divulgado nesta quinta-feira e que prevê o retorno da recessão na Europa em 2012, reduzindo as estimativas para os países europeus.

“O crescimento parou na Europa e poderíamos entrar em uma nova fase de recessão”, advertiu Olli Rehn, comissário europeu de Assuntos Monetários, no sombrio documento sobre as previsões de outono (hemisfério norte) da CE.

“A economia mundial entrou novamente em uma zona de perigo”, afirma no relatório.

“Não se pode descartar uma recessão profunda e prolongada, somada a novas turbulências nos mercados financeiros”, advertiu Marco Buti, diretor geral de Assuntos Econômicos e Monetários da CE.

A Comissão Europeia prevê um crescimento de 0,5% em 2012 para a Eurozona, contra 1,8% da estimativa anterior. Também reduziu as previsões para 2013 nos países que integram a união monetária (1,3% contra 1,8%).

Na União Europeia (UE), integrada por 27 países, o crescimento voltará apenas em 2013, mas será lento, de 1,5%.

Em setembro, Rehn previra uma desaceleração líquida do crescimento, “mas não uma recessão” na Europa. No entanto, ele destacou que a situação se agravou consideravelmente.

Na Itália, a terceira maior economia da Eurozona e a mais ameaçada por um contágio da Grécia, a CE previu uma estagnação em 2012, mas com um déficit inferior a 3% do PIB, teto tolerado pelo pacto de estabilidade da UE.

Continua após a publicidade

Bruxelas espera que o déficit italiano caia de 3,6% este ano para 2,9% em 2012 e 2,3% em 2013. Mas as previsões não levam em consideração a recente alta das taxas dos empréstimos italianos que, se persistir, aumentaria os custos financeiros do país e, portanto, o déficit.

A Grécia permanecerá em recessão no próximo ano, com um retrocesso do PIB de 2,8% em 2012. A previsão contrasta com a estimativa anterior, de um crescimento de 1,1%.

Bruxelas prevê que Atenas registrará um leve retorno ao crescimento em 2013, de 0,7%.

De acordo com as previsões, a economia grega terá três anos consecutivos de recessão.

Para a Espanha, a previsão é de crescimento de 0,7% tanto em 2011 quanto em 2012, abaixo das estimativas anteriores (0,8% e 1,5% respectivamente).

A crise também afetará as grandes economias europeias em 2012. Assim, o crescimento na Alemanha desacelerará de 2,9% este ano a 0,8%; no caso da França de 1,6% a 0,6%. A Grã-Bretanha crescerá apenas 0,7% em 2011 e 0,6% em 2012.

A Comissão Europeia advertiu ainda que o cenário pode ficar ainda mais grave se a crise da dívida prosseguir na Europa, caso a situação dos bancos piore e exija mais injeção de capital.

“A retomada do crescimento e da criação de empregos dependerá do restabelecimento da confiança no sistema financeiro e da aceleração das reformas”, insistiu Rehn.

Continua após a publicidade
Publicidade