Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Europa abala mercados e puxa alta de 1% no dólar

Investidores buscam ativos seguros ante preocupações com Espanha e Grécia

O dólar avançava mais de 1% ante o real na sessão desta quarta-feira, influenciado pela valorização da moeda norte-americana no exterior – um reflexo da movimentação dos investidores internacionais, que buscam ativos mais seguros ante as preocupações com a Espanha e a Grécia.

Às 11h50 (horário de Brasília), a divisa dos Estados Unidos subia 1,23%, para 2,0110 reais. O dólar australiano, de perfil semelhante ao real, também perdia 1%, enquanto o euro recuava cerca de 0,5% ante o dólar. “Há um processo de valorização do dólar no mundo por causa de um movimento de aversão ao risco”, afirmou o economista-chefe do BGC Liquidez, Alfredo Barbutti.

Espanha – Os investidores continuam apreensivos com a situação bancária da Espanha. Este temor levou, nesta semana, os custos de empréstimo da dívida do país a níveis insustentáveis. O banco espanhol nacionalizado Bankia será recapitalizado por meio do fundo de reestruturação bancária Frob, que emitirá títulos, disse nesta quarta-feira o ministro da Economia da Espanha, Luis De Guindos.

Grécia – A Grécia também estava sob os holofotes dos investidores, depois que uma nova pesquisa de opinião mostrou que o partido radical de esquerda grego Syriza – contrário ao resgate internacional – assumiu a dianteira sobre os conservadores para as eleições do mês que vem, o que pode colocar em risco o futuro do país na zona do euro.

Diferentemente do que aconteceu na semana passada, não havia movimentos especulativos sobre o real nesta sessão para testar as atuações do Banco Central no câmbio, segundo agentes de mercado. Diante das intervenções da autoridade monetária por meio de leilões de swap tradicional – operações que equivalem a venda de dólares no mercado futuro -, investidores forçaram altas mais expressivas da moeda americana para tentar decifrar qual patamar o BC defenderia. “Os investidores não estão provocando o BC como fizeram na última semana”, disse Barbutti.

O diretor de câmbio da Pioneer Corretora, João Medeiros, destacou que as intervenções do BC na última semana foram suficientes para acalmar o mercado de câmbio por ora e por isso, também não identificava movimentos de especulação no câmbio. “A questão hoje é a piora do quadro externo”, frisou.

(Com agência Reuters)