Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Euro cai com índices fracos nos EUA e na China

Por Renato Martins

Nova York – O euro caiu frente às principais moedas, depois de os índices de atividade industrial dos gerentes de compras da China e dos EUA alimentarem os temores de uma desaceleração da economia global. Na China, o índice PMI de atividade industrial do HSBC recuou pelo oitavo mês consecutivo em junho, para 48,2, de 48,4 em maio. Nos EUA, o índice PMI de atividade industrial do HSBC caiu a 49,7 em junho, nível mais baixo desde julho de 2009, de 53,5 em maio. Índices acima de 50 apontam expansão na atividade; abaixo disso, uma contração.

Como os EUA e a China respondem por parte considerável do impulso da economia global, indicações de desaceleração nesses países levam os investidores a vender ativos de risco para comprar aqueles vistos como mais seguros, como o dólar e o iene. Mas o dólar, embora tenha subido frente ao euro, recuou diante do iene, já que o informe fraco sobre a atividade industrial foi recebido pelos traders como sinal de aumento da probabilidade de que o Federal Reserve adote novas medidas de relaxamento monetário para estimular a economia, o que tenderia a enfraquecer o dólar.

“O mercado está aumentando a expectativa de que o Fed cai expandir seu balanço patrimonial mais tarde”, disse o estrategista Steven Englander, do Citigroup. Ele observou que os preços do ouro e dos títulos de longo prazo do Tesouro dos EUA subiram, acompanhando a baixa do dólar, à medida que os investidores buscaram ativos que tendem a manter seu valor durante desacelerações econômicas.

Outro fator para a baixa do euro foram as declarações dos governos da Holanda e da Finlândia, de que vão vetar a proposta de usar os fundos de assistência financeira da União Europeia para comprar bônus governamentais de países da zona do euro. Essa proposta, em torno da qual havia acordo no encontro de cúpula europeu da sexta-feira passada, havia levado o euro a subir naquele dia.

As baixas recentes do euro e os indicadores econômicos fracos da região alimentaram a expectativa de que o Banco Central Europeu (BCE) reduza sua taxa básica de juros em 25 pontos-base na reunião desta quinta-feira. Estrategistas estão advertindo, porém, que uma redução de 25 pontos-base poderá decepcionar. “Acho que há um segmento do mercado que acredita que, em seguida à cúpula, o BCE fará algo mais concreto, como dar apoio aos bônus espanhóis e italianos de longo prazo”, disse Englander.

No fim da tarde em Nova York, o euro estava cotado a US$ 1,2573, de US$ 1,2663 na sexta-feira; frente ao iene, o euro estava cotado a ? 100,03, de ? 101,00 na sexta-feira. O iene estava cotado a 79,50 por dólar, de 79,79 por dólar na sexta-feira; a libra estava cotada a US$ 1,5692, de US$ 1,5705 na sexta-feira. As informações são da Dow Jones.